sábado, 28 de março de 2015

Xerazade - A Última Noite

Autor: Manuela Gonzaga
Edição: 2015/ março
Páginas: 200
ISBN: 9789722530125
Editora: Bertrand Editora

Sinopse: 
Xerazade - A Última Noite leva-nos aos meandros de uma fascinante tapeçaria narrativa, onde podemos encontrar referências díspares, quer de mitos clássicos ou pré-clássicos, quer ainda de histórias de encantar, juntamente com «memórias» soltas como «um colar de pérolas» desatadas, que a narradora, Xerazade, tenta reconstruir para confortar o amante que, inconformado, se recusa a deixá-la ir embora.

A minha opinião: 
A curiosidade impulsiona-me para leituras que antes rejeitava sem hesitar. Leituras mais exigentes e elaboradas em que as palavras são encadeadas com rigor e critério para uma leitura dos sentidos e das emoções. 

Contos de encantar que bem conheço, mitos, lendas, historias da antiguidade clássica, numa narrativa colorida de uma mente delirante que as renova como se contadas por tradição oral a um amante que receia perder, como Xerazade na sua ultima noite. Tanto para refletir quando se lê sobre o Amor ao longo do Tempo.  

Não e´ uma leitura fácil e demorei a entrar no espírito da personagem em monólogo constante. Breves apontamentos onde a personagem masculina intervém para sugerir moderação ou contenção a uma Xerazade que imparável avalia tanto do que ao Amor diz respeito. 

Leitura que atrai e afasta na exata proporção da compreensão e empatia com uma Xerazade que não nos deixa indiferente. Enigmática e apaixonada pela Vida que nem sempre a tratou bem. 

Requintada obra que se preza para uma leitura pausada e absorta. 

"Espera por mim como um livro excelso porém esquecido, porque os grandes livros sabem esperar. Podem fazê-lo, alias. O tempo não tem sobre eles qualquer poder. Os outros, ai!, podem quase todos os outros , estão sujeitos `as mesmas leis da vida que talham o nosso humano destino. Envelhecem e acabam por morrer amortalhados em paginas murchas onde palavras dissonantes servem ideias gastas e enredos pobres.
Espera por mim como um livro. Como O Livro, que um dia, rasgado o véu epifanico, reencontramos e devoramos, compulsivamente, e voltamos a devorar como amantes adiados que finalmente se unem pelo fio encantatório das palavras. No tempo certo."    
                                                                                                               (pag. 89)

segunda-feira, 23 de março de 2015

Um Presente muito Especial

Autor: Joanne Huist Smith
Edição: 2014/ novembro
Páginas: 208
ISBN: 9789896682842
Editora: Nascente

Sinopse: 
A história real de uma família que reencontrou a sua essência, com a ajuda de amigos muito especiais.
Depois da morte inesperada do marido, Joanne sente-se incapaz de retomar a sua vida e de ser o exemplo de força que os seus filhos, Ben, Nick e Megan, precisam mais do que nunca. Com a aproximação da quadra natalícia, tudo parece ainda mais duro de suportar.
Mas, 12 dias antes do Natal, um presente é deixado misteriosamente à porta de casa, acompanhado de um cartão com a assinatura «Os vossos verdadeiros amigos». No dia a seguir, um novo presente, no dia seguinte mais um presente, e assim acontece, até à véspera de Natal.

Estes 12 presentes irão tornar-se uma dádiva de grandeza incomparável e acabam por dar origem a um milagre: a reaproximação entre mãe e filhos e o fortalecimento dos seus laços de amor.

A minha opinião: 
Um conto de Natal que li fora de época. Contudo, não há época para se celebrar a alegria de viver, a generosidade, a solidariedade e a união familiar. Em suma, o Amor, que nos liga ao próximo e tantas vezes esquecido na vertigem de rotinas deste ritmo de vida acelerado que nos impõem e que aceitamos sem questionar. Quantas e quantas vezes, um sorriso, uma gentileza ou uma sugestão não fazem toda a diferença para quem a recebe e não nos custa nada. Nem reparamos que somos impacientes, bruscos e um pouco intolerantes no nosso dia-a-dia e o acto de dar fica arredado das nossas prioridades.

Um daqueles livros que banalmente desvalorizamos como de auto-ajuda, como se não precisamos de ajuda para refletir e mudar sempre e quando possível.

Singelos e inesperados presentes, diariamente entregues nos treze dias que antecederam o natal, obrigam uma família enlutada, mais destroçada com a proximidade da época, a uma distração que gradualmente faz a mudança.

Realista e com uma escrita corrente e fluída, lê-se num ápice. Um pouco de ternura e compaixão. Um balsamo para corações sensíveis e abnegados. 

domingo, 22 de março de 2015

Cavalo de Fogo - Gaza

Autor: Florencia Bonelli
Trilogia: Cavalo de Fogo (Vol. 3)
Edição: 2015/ janeiro
Páginas: 672
ISBN: 9789720044938
Editora: Porto Editora

Sinopse: 
Matilde e Eliah voltam a separar-se. No Congo, as esperanças de uma vida em conjunto desvaneceram-se ao ritmo dos ciúmes e das circunstâncias hostis.
Matilde, cirurgiã pediátrica, refugia-se na sua paixão: o trabalho humanitário que leva a cabo para a organização Mãos Que Curam. O seu novo destino é a Faixa de Gaza, o território mais densamente povoado do mundo, onde a prioridade diária é a sobrevivência. Eliah, por seu lado, obriga-se a esquecer Matilde e a pôr fim à obsessão que o prende a ela.

Estará esta enorme paixão condenada a perecer nas ruínas de um mundo, também ele, em risco? Ou serão o amor, uma força mais poderosa do que todo o mal que os rodeia, e a vontade de ficarem juntos, contra tudo e contra todos, suficientes para unir Eliah e Matilde para sempre?
Uma soberba conclusão da história iniciada com Cavalo de Fogo - Paris e continuada em Cavalo de Fogo - Congo.

A minha opinião: 
Florencia Bonelli conquistou-me com a serie O Quarto Arcano e desde então acompanho as aventuras e desventuras das suas muitas personagens em peripécias ousadas e arriscadas que são fáceis de visualizar tal o encantamento a que sujeita os leitores com as suas descrições vivas, eloquentes e vibrantes. Muitas paginas num verdadeiro "turn page" que nos faz sonhar com idílicas personagens.

No fecho desta trilogia sobre a avassaladora paixão do Cavalo de Fogo - Eliah Al-Saud e Matilde, temos como cenário de fundo o conflito israelo-palestino que surge na narrativa com personagens boas ou não de ambos os lados, explicado de uma forma acessível que se sintetiza assim;
"Uma desavença baseada numa lógica de olho por olho, dente por dente. Ninguém parece aperceber-se que estamos a ficar cegos, ambas as partes.(...) E´ claro que os palestinianos são aqueles que ficam pior, mas os israelitas também não são felizes. Viver no medo, na desconfiança e no ódio destroça a dignidade humana. (...) A identidade impõe-se. A identidade justifica os males.(..) A desconfiança transformou-os em pedra."      (pag, 450/1)

Narrativa empolgante com muita ação, sejam lutas de guerra ou contacto corpo a corpo em cenas repletas de erotismo, numa intrincada trama para seguir com alguma concentração sem perder o fio condutor que leva ao mercenário real e destemido com o controle do equilíbrio mundial. Uma saga familiar que chega ao fim.

Uma moderna estória que remonta ao fascínio que sentimos com contos de principies e princesas contado com arte e artifícios que nos prendem desde o principio a esta deliciosa fantasia romântica. 

domingo, 8 de março de 2015

Uma escolha imperfeita

Autor: Louise Doughty
Edição: 2014/ outubro
Páginas: 376
ISBN: 9789720047021
Editora: Porto Editora

Sinopse: 
Num tom intimista, pleno de emoção, erotismo e um suspense de tirar o fôlego, Uma escolha imperfeita é um romance surpreendente sobre como uma decisão impensada pode mudar o curso de uma vida para sempre.
Yvonne Carmichael trabalhou arduamente para conquistar o que sempre quis: uma invejável carreira na área da genética, uma casa fantástica, uma boa relação com o marido e dois filhos. 
Um dia, cruza-se com um desconhecido e, num impulso, começa uma tórrida aventura amorosa - uma decisão que acaba por colocar em causa tudo o que sempre valorizou.

Yvonne acredita que conseguirá manter a relação extramatrimonial sem que tal venha a interferir na sua vida, tal como ela é. Só que, na verdade, ninguém consegue controlar o que acontecerá a seguir. 
De conceituada e respeitada cientista a adúltera acusada dos mais variados crimes, Yvonne vê todos os seus planos desmoronarem-se numa espiral de desilusões e violência.

A minha opinião: 
Uma escolha imperfeita foi talvez a mais perfeita escolha de leitura deste ano.

Uma mulher madura, inteligente, com uma bem sucedida carreira, mãe de família, um casamento solido que conta na primeira pessoa e sem emoção, apesar da comoção e tensão que provoca a quem lê, toda a sua historia quando se desapaixonou de si mesma.

Yvonne Carmichael vive um drama quando descobre que a segurança e confiança são bens que se podem perder. Independentemente dos seus êxitos e conquistas passara o resto da sua vida a ser considerada por aquilo que fez e por aquilo que lhe fizeram homens simpáticos e normalíssimos que conhecia. A sua vida interior diferente do que era visível aos olhares alheios e não a tornam promiscua mas vulnerável. Escolhas e decisões que lhe fizeram perder o controle.  

Uma historia contada em três partes num tom intimo, coloquial e confidencial. De erótico nada li. Mas o suspense esteve sempre presente e tornou esta leitura avassaladora e exigente. Nada posso contar sobre a trama mas posso adiantar que a sinopse não lhe faz jus e quase nada revela sobre esta mulher em contacto com os seus mais profundos sentimentos e emoções.

Uma mulher para recordar. E uma autora para guardar.