quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

A Trégua

Autor: Mario Benedetti
Edição: 2007/ abril
Páginas: 168
ISBN: 9789896230487
Editora: Cavalo de Ferro

Sinopse: 
Em Buenos Aires, dois amantes vivem um amor que transgride todas as convenções sociais. Martín Santomé é viúvo há mais de vinte anos e praticamente criou os filhos sozinho. Confidencia ao seu diário que se sente cansado de um quotidiano sedentário no escritório e que de dia para dia agravam-se os conflitos geracionais com os seus filhos. O seu único alento é a reforma, para a qual faltam seis meses e vinte e oito dias.
Tudo muda quando surge uma nova colega, Laura Avellaneda, num escritório contíguo ao seu – “o seu corpo, a sua boca grande, as suas pernas lindas” – e só assim se atenua a obsessão de Martín centrada nos vinte e oito dias. Martín descobre pela primeira vez o amor com a jovem e vigorosa Laura.

Superando todos os convencionalismos e transgredindo as circunstâncias impostas pela diferença de idades, os dois amantes revitalizam sentimentos e enfrentam os riscos dessa relação amorosa: Martín e Laura vivem profundamente o seu momento no qual se inscreve o sentido da eternidade.

A minha opinião: 
Estive algum tempo na posse deste romance que um bom amigo me emprestou, sem o ler. Depois que o fiz, estive algum tempo sem expressar a minha opinião. Não é fácil ou simples e não o vou conseguir condignamente. Um justo merecedor dos prémios que recebeu é quanto baste para promover esta leitura.

Um homem maduro que faz um diário não me parece uma coisa corriqueira. Um solitário que à beira da reforma descobre nos seus últimos dias de trabalho uma jovem mulher que o encanta, e mais tarde lhe corresponde, e no papel conta tudo o que ocultou por incredulidade e medo que esse amor se perdesse, já me parece verossímil. Este homem, tem profundos sentimentos e alguma amargura que importa conhecer ou não fossem eles transversais a todos nós em determinados momentos da vida. Também permite um outro olhar, sobre amores que nos parecem desiguais. Até na relação parental com filhos adultos. 

Que seja eterno enquanto dure. Os momentos felizes e apaixonados revelam-se melhor através de expressões corporais do que por palavras. 

Sem comentários:

Enviar um comentário