segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Ao Sol de Tânger

Autor: Christine Mangan
Edição: 2018/ setembro
Páginas: 288
ISBN: 9789722362641
Tradutor: Miguel Romeira
Editora: Presença

Sinopse:
A última pessoa que Alice espera ver quando chegou a Tânger, com o seu novo marido, é Lucy Mason. Depois de um acidente em Bennington, as duas jovens - outrora colegas de quarto inseparáveis - não se viam há mais de um ano. Mas ali está Lucy, a tentar reparar as coisas e recuperar a cumplicidade de antigamente. Alice talvez devesse sentir algum alívio por ter ali uma amiga, ela ainda não conseguiu adaptar-se à sua vida em Marrocos; tem medo de se aventurar na confusão das medinas e o calor opressivo apavora-a. Lucy, independente e destemida como sempre, ajuda Alice a sair do apartamento e a explorar o país. Porém, Alice depressa dá por si dominada por um sentimento que já conhece: o controlo constante de Lucy.

Para agravar a situação, John, o marido de Alice, desaparece e ela começa a questionar tudo à sua volta: a relação com a sua enigmática amiga, a decisão de se mudar para Tânger e até a sua própria sanidade mental. Uma história afiada como um punhal, numa estreia literária cheia de peripécias, exotismo e charme, escrita com tal mestria, que deixará o leitor arrebatado.

A minha opinião:
Gosto da capa. Bem escolhida. Facilmente e sem nada saber imaginei o tempo e o lugar.  E assumi que seria a foto de Lucy, quem dizia sempre o que lhe ia na cabeça, sabia o que queria e tratava de o conseguir.

Alice... é a outra personagem. Uma jovem mulher marcada pela morte dos pais e com algumas sombras que a rodeavam. 

E Tânger, uma estranha cidade sem lei que pertencia a todos e a ninguém, que pelo peso que tem na história é em si uma personagem com os seus odores, ruídos e clima. 

O enredo é sobre a estranha relação destas duas mulheres, outrora amigas, que alternadamente contam a sua versão. A ligação lembra a série de Elena Ferrante, apesar de o desiquilíbrio de forças entre elas ser mais acentuado. 

Mais um thriller, de estreia, muito competente. Cinematográfico, o que muito apreciei. Mistério, suspense e intriga.

Sem comentários:

Enviar um comentário