domingo, 22 de março de 2015

Cavalo de Fogo - Gaza

Autor: Florencia Bonelli
Trilogia: Cavalo de Fogo (Vol. 3)
Edição: 2015/ janeiro
Páginas: 672
ISBN: 9789720044938
Editora: Porto Editora

Sinopse: 
Matilde e Eliah voltam a separar-se. No Congo, as esperanças de uma vida em conjunto desvaneceram-se ao ritmo dos ciúmes e das circunstâncias hostis.
Matilde, cirurgiã pediátrica, refugia-se na sua paixão: o trabalho humanitário que leva a cabo para a organização Mãos Que Curam. O seu novo destino é a Faixa de Gaza, o território mais densamente povoado do mundo, onde a prioridade diária é a sobrevivência. Eliah, por seu lado, obriga-se a esquecer Matilde e a pôr fim à obsessão que o prende a ela.

Estará esta enorme paixão condenada a perecer nas ruínas de um mundo, também ele, em risco? Ou serão o amor, uma força mais poderosa do que todo o mal que os rodeia, e a vontade de ficarem juntos, contra tudo e contra todos, suficientes para unir Eliah e Matilde para sempre?
Uma soberba conclusão da história iniciada com Cavalo de Fogo - Paris e continuada em Cavalo de Fogo - Congo.

A minha opinião: 
Florencia Bonelli conquistou-me com a serie O Quarto Arcano e desde então acompanho as aventuras e desventuras das suas muitas personagens em peripécias ousadas e arriscadas que são fáceis de visualizar tal o encantamento a que sujeita os leitores com as suas descrições vivas, eloquentes e vibrantes. Muitas paginas num verdadeiro "turn page" que nos faz sonhar com idílicas personagens.

No fecho desta trilogia sobre a avassaladora paixão do Cavalo de Fogo - Eliah Al-Saud e Matilde, temos como cenário de fundo o conflito israelo-palestino que surge na narrativa com personagens boas ou não de ambos os lados, explicado de uma forma acessível que se sintetiza assim;
"Uma desavença baseada numa lógica de olho por olho, dente por dente. Ninguém parece aperceber-se que estamos a ficar cegos, ambas as partes.(...) E´ claro que os palestinianos são aqueles que ficam pior, mas os israelitas também não são felizes. Viver no medo, na desconfiança e no ódio destroça a dignidade humana. (...) A identidade impõe-se. A identidade justifica os males.(..) A desconfiança transformou-os em pedra."      (pag, 450/1)

Narrativa empolgante com muita ação, sejam lutas de guerra ou contacto corpo a corpo em cenas repletas de erotismo, numa intrincada trama para seguir com alguma concentração sem perder o fio condutor que leva ao mercenário real e destemido com o controle do equilíbrio mundial. Uma saga familiar que chega ao fim.

Uma moderna estória que remonta ao fascínio que sentimos com contos de principies e princesas contado com arte e artifícios que nos prendem desde o principio a esta deliciosa fantasia romântica. 

Sem comentários:

Enviar um comentário