domingo, 1 de outubro de 2017

A Mulher Secreta

Autor: Anna Ekberg
Edição: 2017/ agosto
Páginas: 480
ISBN: 9789892339610
Editora: Edições Asa

Sinopse: 
O que faria se descobrisse que a sua vida não é sua?

Louise tem tudo para ser feliz. Gere um café que adora numa ilha dinamarquesa, onde mora com o namorado, Joachim. E Louise é, de facto, feliz. Até ao dia em que um homem entra no café e vira a sua vida do avesso. Trata-se de Edmund, que jura que Louise se chama, na verdade, Helene, e é a sua mulher, desaparecida há três anos. E tem provas…

Depressa se torna evidente que Louise não é quem julga ser. É, sim, Helene Söderberg, herdeira de uma vasta fortuna, proprietária de uma grande empresa, mãe de dois filhos pequenos e casada com um marido dedicado. Mas há perguntas que permanecem sem resposta. Porque é que ela não se lembra de nada? Quais são os seus planos para o futuro quando desconhece por completo o passado? 

Conseguirá recuperar o amor dos seus filhos? E os sonhos que partilhou com Joachim?
Obrigada a retomar a sua vida misteriosamente interrompida, Helene é posta à prova de uma maneira tão brutal quanto comovente. Mas no seu coração continua a existir um lugar especial para Louise, a mulher que, por momentos, viveu a vida dos seus sonhos.

Um thriller romântico intenso e visceral sobre traição, ganância, laços de família… e um amor avassalador.

A minha opinião: 
Esta sinopse suscitou a minha curiosidade. Intencional, mas não original. A premissa de uma mulher rica e poderosa que desaparece e reaparece anos depois porque não foi esquecida, enquanto ela esqueceu tudo e todos porque sofre de amnésia dissociativa, não é novidade. Ainda assim, não lhe resisti. 

Julguei que o desvendar do mistério tornaria esta leitura imparável, mas tal não aconteceu de início. Julguei que Anna Ekberg seria uma autora, mas é o pseudónimo de uma dupla de autores que sabe que num thriller nada é o que parece, a verdade é sempre outra e precisamos de estar muito atentos para perceber o engano na história que nos contam. O narrador acompanha os dois protagonistas que separadamente procuram descobrir nos detalhes a verdade e recuperar o que julgam perdido. Por amor, Joachim não desistiu. E a trama adensa-se muito para lá da minha imaginação. Gosto disso. Crime no passado  por ganância,  crime no presente por ódio. E nada mais devo revelar. 

A meu ver, os autores nórdicos impõem um cunho diferentes na sua escrita e nos seus enredos. Menos descritiva e mais direta ou acessivel. Sorri quando li - "Bem-vindos à Dinamarca, pensa Joachim. Aqui, até as putas andam de bicicleta." (pag.199) O ambiente frio e escuro dos seus dias provoca arrepios no sentido da sua escrita. 

"Não há dúvida, a mulher secreta perdoa aos homens o seu ódio pelas mulheres." (pag. 452)

Sem comentários:

Enviar um comentário