sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A evolução de Calpurnia Tate

Autor:  Jacqueline Keely
Edição: 2011, Junho
Páginas: 248
ISBN: 9789896660994
Editora:  Contraponto

Sinopse:
“O meu nome é Calpurnia Virginia Tate, mas, nesses tempos idos, toda a gente me tratava por Callie Vee. Nesse verão, tinha onze anos e era a única rapariga de um total de sete irmãos. Conseguem imaginar pior do que isto?”
O verão de 1899 é quente na adormecida cidade do Texas onde vive Calpurnia, e não há muitas maneiras eficazes de combater o calor…

A única alternativa que Callie encontra é cortar discretamente o cabelo, uns furtivos dois centímetros de cada vez. Também passa muito tempo no rio na companhia do seu irascível avô (um ávido naturalista), e descobre que cada gota de água está cheia de vida – nada como olhar através de um microscópio. Ao mesmo tempo que Callie vai explorando o mundo natural à sua volta, segundo os passos de Darwin, consegue desenvolver uma forte relação com o avô, contornar o perigo que é viver com seis irmãos e aprender o que significa ser-se rapariga na viragem do século.

A minha opinião:
"- E qual é a lição que podemos tirar disto?

... fiquei a olhar embasbaca par ele. Ele respondeu:

- A lição de hoje é: vale mais viajar com a esperança no coração do que chegar em segurança. Compreendes?

- Não, avô.

- Significa que devemos celebrar o fracasso de hoje porque é um sinal claro de que a nossa viagem de descoberta ainda não acabou. O dia em que a experiência tiver êxito é o dia em que a experiência terá um fim. E descobri que, inevitavelmente, a tristeza do fim prevalece sempre sobre a celebração do êxito."

Um livro terno sobre uma criança na viragem para o seculo XX à descoberta do mundo sob a orientação do avô. O avô, sobrevivente de guerra delegara o trabalho da quinta no filho e vivia à margem da familia no seu nicho de interesses e conhecimentos. Num Verão quente e monótono, permitiu que a sua única neta partilhasse o seu espaço e aprendesse algumas lições que estavam vedadas a raparigas.

A vida e o quotidiano na familia e na comunidade de Callie Vee são também outros dos temas que esta narrativa abrange e promove alguns bons momentos de entretenimento tranquilo. Não correspondeu às minhas expectativas mas foi uma leitura aprazível sem grandes pretensões ou arrojos. Medianamente interessante.

Sem comentários:

Enviar um comentário