quinta-feira, 18 de julho de 2013

O Meu Ano Mágico

Autor: Nina Sankovitch
Edição: 2013, maio

Páginas: 284
ISBN: 9789724621661
Editora: Casa das Letras

Sinopse:
Como 365 livros conseguiram mudar uma vida
Um desafio: ler um livro por dia durante um ano. Aceita?
Foi essa a promessa que Nina Sankovitch fez a si própria. Após perder a irmã mais velha, e embora precisasse de cuidar dos quatro filhos e lidar com os percalços do quotidiano de uma grande família, Nina estabeleceu uma meta para si própria: ler um livro por dia, durante um ano inteiro, de Tolstoy a Ian McEwan, passando por António Lobo Antunes, José Eduardo Agualusa, José Saramago e Mia Couto.

Nesse verdadeiro sonho literário, Nina descobrirá que esse ano de leitura mágica mudará tudo ao seu redor e que os livros são uma ótima terapia.
O Meu Ano Mágico relata também a história da família Sankovitch: o pai de Nina, que escapou da morte por um triz na Bielo-Rússia durante a Segunda Guerra Mundial; os quatro filhos traquinas, que lhe recomendavam livros ao mesmo tempo que a ajudavam nas lides domésticas; e Anne-Marie, a sua irmã mais velha e a sua verdadeira fonte de inspiração, com quem Nina compartilhou os prazeres da leitura, mesmo nos seus últimos momentos de vida.
Os livros são o alimento da alma. Todos os apaixonados por literatura sabem que um livro cura, acolhe e envolve. É o que busca a autora de O Meu Ano Mágico.

A minha opinião:
Romance leve, cativante e comovente.

Não é uma leitura muito ambiciosa ou exigente mas ainda assim, agradável e aprazível, principalmente porque tal como a autora/ protagonista desta história verídica tenho uma forte ligação com os livros. Uma companhia preciosa que partilho, pelo muito que significam e proporcionam.

A empatia deve-se a estes e outros aspectos, como a idade da Nina quando decidiu em consciência retomar o rumo da sua vida mas acomodando o muito que ainda estava em convulsão dentro de si e a fazia viver num ritmo muito acelerado.

A história gira em torno de uma leitora convicta que procurou, num hiato de um ano, a alegria, a sabedoria e o conforto dos livros para a mágoa e dor da perda da irmã. Irmã essa que é uma presença predominante e constante de toda a narrativa.

Um livro que é um convite à introspecção para repensar a sua vida. Foi o que a autora fez de um modo muito original e com inegável sucesso. 

Sem comentários:

Enviar um comentário