sábado, 28 de dezembro de 2013

O Anjo Caído

Autor: Daniel Silva
Edição: 2013, outubro
Páginas: 400
ISBN: 9789722527125
Editora: Bertrand Editora

Sinopse:
Depois de ter sobrevivido por um triz à sua mais recente missão, Gabriel Allon, o herói dos serviços secretos israelitas, refugiou-se por detrás dos muros do Vaticano, onde se encontra a restaurar uma das obras-primas de Caravaggio. Mas certa manhã, bem cedo, é chamado à Basílica de São Pedro por monsenhor Luigi Donati, o influente secretário privado de Sua Santidade o Papa Paulo VII. Foi encontrado o cadáver de uma bela mulher debaixo da magnífica abóbada de Miguel Ângelo.

A polícia do Vaticano suspeita de suicídio, mas Gabriel não concorda. E, segundo parece, o mesmo se passa com Donati, que receia que uma investigação pública possa vir provocar no seio da Igreja e, por isso, chama Gabriel para que ele descubra discretamente a verdade. Com uma advertência: «Regra número um no Vaticano», diz Donati. «Não faça demasiadas perguntas.»
Gabriel descobre que a mulher morta desvendara um segredo perigoso, que ameaça uma organização criminosa que anda a pilhar tesouros da Antiguidade e a vendê-los a quem oferecer mais dinheiro. Mas não se trata apenas de ganância. Um agente misterioso planeia uma sabotagem que irá mergulhar o mundo num conflito de proporções apocalípticas…

A minha opinião:
Uma intricada trama à medida de Gabriel Allon, célebre restaurador de quadros dos Velhos Mestres, espião e assassíno israelita reformado e salvador do Santo Padre. 

Provei e gostei. Li anteriormente um livro de Daniel Silva e fiquei envolvida na trama vertiginosa onde se sucedem acontecimentos e peripécias várias a um bom ritmo que impedem o leitor de interromper a leitura. Sempre sucede algo que provoca uma reviravolta no momento certo em que como leitor pode estar a perder o interesse. Novos intervenientes com outros contornos, personagens boas e más, assentes em valores morais ou políticos, mas com carisma sufíciente para não se pretender parar de ler. 
O autor é claramente um defensor da causa israelita e uma pessoa extremamente bem informada que, traz alguns dos seus conhecimentos, fruto de uma interessada pesquisa para as suas obras de ficção. 
Tenho por hábito ler as Notas de Autor. Neste não foi exceção e tal como o autor fico chocada por ainda haver quem negue o Holoausto e os seis milhões de judeus mortos. A paz no Médio Oriente é um sonho que gostariamos concretizado mas parece distante enquanto persistir a disputa pela Terra prometida que divide Palestinianos e Israelitas.

Gabriel Allon é uma personagem admirável pela sua integridade, mas também pela sua coragem e liderança. Sofrido mas inabalável nas suas convições. Vive discretamente em Itália com a sua Chiara que lhe dá uma nova oportunidade de amar, ocupando-se a restaurar quadros famosos ao serviço do Vaticano, quando se dá a morte de Claudia Andreatti (o anjo caído) que a pedido do amigo Luigi Donati vai investigar. Esta fazia um sigiloso trabalho que pode comprometer a Igreja. Assim começa e desenrolando-se tanto acontece. Ganância e obscurantismo.  

Uma boa leitura.

Sem comentários:

Enviar um comentário