domingo, 22 de fevereiro de 2015

A caminho de casa


 Autor: Fabio Volo
Edição: 2014/ agosto
Páginas: 304
ISBN: 9789722353595
Editora: Editorial Presença

Sinopse: 
A Caminho de Casa conta a história de dois irmãos que são o oposto um do outro. Andrea é engenheiro, responsável, tem um casamento perfeito e o dom de fazer sempre as escolhas certas. Marco, três anos mais novo, é dono de um restaurante em Londres, rebelde, instável e um mulherengo inveterado. Nunca se sentiram íntimos na sua relação, mas a súbita doença do pai irá aproximá-los e fazê-los compreender muita coisa sobre si próprios e sobre a família. 

Um romance que atesta a maturidade de Fabio Volo como escritor e que nos fala de temas universais como: o amor, a paixão, o casamento, a amizade, as escolhas que se fazem e as que ficam por fazer, e a extrema importância dos afetos na passagem para a vida adulta.

A minha opinião: 
Não foi um livro que me cativasse de imediato como eu supus quando o pedi emprestado a uma boa amiga. Demorei a compreender as personagens e as suas motivações. As personagens, dois irmãos que pouco se viam e quando se falavam era acerca do pai em telefonemas breves e formais. Dois homens muito diferentes que não tinham conseguido ter uma relação mais intima, fraterna. Uma relação de cumplicidade familiar. Andrea e Marco não tinham rancores ou grandes questões por resolver mas quando o pai os impediu de questionar a doença da mãe na tentativa vá de os proteger, piorou tudo porque aumentaram os medos e conflitos interiores de cada um.  Desde a morte da mãe, o pai tentou proteger os seus filhos de tudo, mas falhou porque não os conseguiu proteger da própria infelicidade.   
Nesta fase, aproximadamente na pag. 70, o livro prendeu-me com a densidade das personagens enredadas em conflitos banais que se resolviam por dialogo, como se isso fosse fácil e simples de ultrapassar na medida em que ambos conseguiam perceber as limitações um do outro.  

Para alem de tudo isto, as turbulentas relações afetivas de cada um dos irmãos que não superaram os seus receios e bloqueios. Andrea casado e infeliz, sem filhos e Marco livre e desimpedido em amizades coloridas que surgiam por coincidência ou por solidão mas preso a um amor correspondido da juventude que nunca quis assumir e que evoluísse.   

Novamente a doença os vai sujeitar a alterarem as suas vidas criando uma brecha nas fortalezas que criaram em torno dos seus sentimentos. Confrontos e alguma argumentação revelam muito do que não sabiam a respeito um do outro e de si mesmos. Uma surpresa final vai fechar um capitulo e retomarem o fio condutor das suas vidas.  

Um romance terno e compassivo que numa linguagem direta e despretensiosa procura alcançar o leitor numa historia tão simples como a vida. Especial dependendo do estado de espírito e vivências do leitor.  

Sem comentários:

Enviar um comentário