quarta-feira, 19 de abril de 2017

O Poder das Pequenas Coisas

Autor: Jodi Picoult
Edição: 2017/ março
Páginas: 512
ISBN: 9789722359788
Editora: Editorial Presença

Sinopse:
Ruth Jefferson é uma enfermeira obstetra com mais de vinte anos de experiência. Um dia, durante o seu turno, começa uma avaliação de rotina a um recém-nascido. Minutos depois é informada de que lhe foi atribuído outro paciente.

Os pais do bebé são supremacistas brancos e não querem que Ruth, afro-americana, toque no seu filho. O hospital acede a esta exigência, mas no dia seguinte o bebé enfrenta complicações cardíacas.

Ruth está sozinha na enfermaria. Deve ela cumprir as ordens que lhe foram dadas ou intervir? O que se segue altera a vida de todos os intervenientes e põe em causa a imagem que têm uns dos outros.

Com uma empatia, inteligência e simplicidade notáveis, Jodi Picoult aborda temas como a raça, o privilégio, o preconceito, a injustiça e a compaixão num livro magistral sem respostas fáceis.
 
A minha opinião:
Small Great Things é o título original e uma referência a uma citação frequente de Martin Luther King Jr., usada pela autora para explicar nesta narrativa que é através de pequenos atos que o racismo é tanto perpetuado como parcialmente desmontado. O poder das pequenas coisas. Singelo e maravilhoso este título que me atraiu para uma leitura que supunha erradamente banal e prevísivel.

Racismo nos Estados Unidos. Atual ... e pertinente.

A perspetiva de uma enfermeira negra que trabalhava em obstretícia há mais de vinte anos e é impedida por um pai supremacista branco de tocar no seu filho.

A perspetiva de uma defensora oficiosa bem intencionada sem ser idealista que não se considerava de todo racista e que vai aprender mais sobre si mesma.

A perspetiva de um racista que foi orientado desde jovem para canalizar assim a sua raiva.

A perspetiva de um jovem negro talentoso que foi educado a crer que trabalhando arduamente conquistaria o seu lugar e foi confrontado com a injustiça.

Várias perspetivas para a temática da diferença que benefica uns à partida e estes nem percebem que ganham porque outros perdem.

 Um romance que começou por me irritar a ponto de ponderar abandoná-lo e acabou por me convencer. Uma estreia com Jodi Picoult que me levou à reflexão introspetiva.

Sem comentários:

Enviar um comentário