domingo, 14 de maio de 2017

A Avó e a Neve Russa

Autor: João Reis
Edição: 2017/ fevereiro
Páginas: 224
ISBN: 9789898843654
Editora: Elsinore

Sinopse:
Babushka está doente. Esta russa idosa, emigrante no Canadá, sobreviveu ao acidente nuclear de Chernobyl. Esconde no peito a doença que a obriga a respirar a contratempo e lhe impõe uma tosse longa e larga e comprida e sem fim — um mal que a faz viver mergulhada nas memórias do seu passado luminoso, a neve pura da Rússia, recordação sob recordação.
Na fronteira com a realidade caminha o seu neto mais novo, de dez anos, um menino que não desiste de puxar o fio à meada e de tentar devolver a avó ao presente. Para ajudar Babushka, precisa de encontrar uma solução para os seus pulmões destruídos, sacos rasgados e quase vazios — mesmo que isso o obrigue a crescer de repente e partir em busca de uma planta milagrosa, o segredo que poderá salvar a família e completar a matriosca que só ele vê.

Narrado na primeira pessoa e escrito a partir da perspetiva de uma criança, A Avó e a Neve Russa é um livro feito da inocência e da coragem com que se veste o deslumbramento das infâncias. Romance simples e emotivo sobre a força da memória e da abnegação, relata a peregrinação de um neto através da esperança, do Canadá ao México, para encontrar a possibilidade de um final feliz.

A minha opinião:
Este livro não foi desejado, mas de tão bem recomendado fiquei sugestionada.

Muito bem concebido na apresentação.  A imagem enternece, a sinopse promete, enquanto a capa apetece afagar. 

À primeira vista, pareceu-me literatura infantil. Mudei de opinião com um olhar mais atento. A inocência e cuidado de um "homenzinho" de 10 anos que procura salvar a avó Babushka, uma vez que não compreendia como os médicos poderiam ajudar com a observação ou desenho de pássaros (confusão do termo oncologia com ornitologia). O recurso a todo os amigos que, na sua boa fé tinham alternativas. A demanda para encontrar um cacto milagroso e impedir que fosse entregue aos serviços sociais ou a uma familia de acolhimento se ficasse só com o irmão Andrei. Tudo isto, explicado por quem conhece o mundo através das palavras dos adultos e faz enleados raciocínios que a sua compreensão permite. Extensos demais no meu entender, mesmo considerando que este menino é especial. Talvez por isso, não tenha correspondido ao meu ideal. Bem escrito, sem dúvida, dentro do plano. Exaustivo, ambicioso e nem sempre credível. Apesar de tudo, inspirado e bem concluido.  

Sem comentários:

Enviar um comentário