sábado, 20 de janeiro de 2018

A Catedral do Mar

Autor: Ildefonso Falcones
Edição: 2009/ setembro
Páginas: 570
ISBN: 9789722515115
Tradutor: Ana Duarte
Editora: Bertrand

Sinopse:
Século XIV. A cidade de Barcelona encontra-se no auge da prosperidade; cresceu até ao humilde bairro dos pescadores, cujos habitantes decidem construir, com o dinheiro de uns e o esforço de outros, o maior templo mariano conhecido: Santa Maria do Mar. Uma construção paralela à desditosa história de Arnau, um servo da terra que foge dos abusos do seu senhor feudal e que se refugia em Barcelona. Daqui se torna cidadão e, assim, num homem livre. O jovem Arnau trabalha como estivador, palafreneiro, soldado e cambista. Uma vida extenuante, sempre à sombra da Catedral do Mar, que o tirará da condição miserável de fugitivo para lhe dar nobreza e riqueza. Mas com esta posição privilegiada chega também a inveja dos seus pares, que tramam uma sórdida conspiração que põe a sua vida nas mãos da Inquisição... Lealdade e vingança, traição e amor, guerra e peste, num mundo marcado pela intolerância religiosa, a ambição material e a segregação social. Um romance absorvente, mas também uma fascinante e ambiciosa recreação das luzes e sombras do mundo feudal.

A minha opinião:
Que romance histórico extraordinário!
A construção de uma Catedral pelo povo, que dá o título ao livro, numa conturbada época. Arnau Estanyol cresceu e viveu na sombra da Virgem Maria, que considerava como sua mãe e ligado a esta Catedral. Em criança, quando foi acusado injustamente e rejeitado pela familia, adolescente como bastaixo (carregador de pedras para a construção do templo), adulto enquanto heroi e amigo de um rico judeu que o orientou como cambista que passou a financiar as obras. Tantos acontecimentos e tantas peripécias que esta integra personagem narra que o tornam inesquecível!

Agora percebo a popularidade deste romance bem escrito e contextualizado. Quem o lê não pode deixar de ler as notas finais do autor para se inteirar do esforço e capacidade criativa nesta grandiosa narrativa. Elogios à dimensão deste livro que sofregamente e rápidamente li. Uma surpresa adiada por moderadas expetativas anteriores e demasiado peso para transportar.

O ambiente histórico com os seus vários intervenientes, considerando a tenebrosa Inquisição, a prepotente Nobreza, e os servos da terra que buscavam liberdade são impactantes neste romance, como não podia deixar de ser. O ódio aos judeus é outro dos temas fortes neste enredo. Enfim, muitos e bons motivos para não o deixar passar.

Muitos comparam-no ao "Os Pilares da Terra" de Ken Follett, mas como não foi uma das minhas leituras não o posso fazer. Assim, asseguro que talvez seja uma das minhas melhores leituras para este ano que se iniciou. 

Sem comentários:

Enviar um comentário