segunda-feira, 14 de maio de 2018

Uma Velha e o Seu Gato e a história de dois cães

Autor: Doris Lessing
Edição: 2016/ abril
Páginas: 96
ISBN: 9789722531436
Tradutor: Ana Falcão Bastos
Editora: Bertrand

Sinopse:
Dois dos mais emblemáticos contos de Doris Lessing, Nobel da Literatura. Era célebre a sua paixão pelos animais, especialmente os gatos, bem patente nestas duas histórias. Em Uma Velha e o Seu Gato, uma mulher de sangue cigano, agora velha, viúva, com pouco contacto com os filhos adultos, vai-se lentamente desligando do mundo, das normas sociais e da convivência com os outros. A sua grande companhia é o seu gato, com quem se vai tornando cada vez mais selvagem e mais afastada dos outros humanos. Em História de Dois Cães, Doris Lessing narra a fascinante amizade entre dois cães, até ao fim da vida de ambos. Um é morto a tiro por roubar ovos, o outro, envelhece e entristece com a perda do amiga e acaba por ser posto a dormir.

A minha opinião:
Mais uma vez afirmo que gosto de ler contos. E gosto de animais. Como tal, não podia deixar de ler este pequeno livro e para isso tive de fazer um interregno no que estava a ler, para numa tarde devorar estes dois contos. Importa referir que, Doris Lessing foi prémio Nobel da Literatura em 2007 e nesta pequena amostra percebi o seu imenso talento. 

Uma Velha e o seu Gato é um conto tocante sem ser piegas ou lamechas. Desde o início há uma critica implícita sobre a incompreensão e o abandono dos idosos pelas familias e pela sociedade, que como não se encaixam no padrão estabelecido são esquecidos ou acomodados nos lares para morrerem. Os interesses imobiliários também dão uma ajudinha neste desfecho. Sem sentimentalismo é um conto que machuca. 

Nada dúbia ou hesitante na escrita Doris Lessing assume a sua alma livre e lúcida que escreve sobre o que quer sem se preocupar com desconfortos alheios. A liberdade é um tema subjacente em ambos os contos. O gato é um animal incompreendido por muitos e Tibby não fugia à regra. Caçador que sobrevive independente mas aprecia a proteção e os afagos de um dono que escolhe. Hetty era uma velha extravagante que a familia rejeitou e que tinha por companhia o seu amigo gato.

A História de Dois Cães fala sobre as dificuldades de subsistir, o isolamento e o espaço aberto das grandes fazendas de África, onde os animais se podiam tornar selvagens mesmo quando criados pelo homem, como os dois cães da narrativa. A tentativa de os ensinar não era bem sucedida e o mais livre influenciava o mais dócil a seguirem soltos na vastidão que os rodeava. As incursões em fazendas vizinhas geravam alguns problemas que eram resolvidos a tiro. 

Ao contrário do que se poderia imaginar, os contos não são de encantar. De pensar para mudar. 

Sem comentários:

Enviar um comentário