sábado, 17 de novembro de 2012

Eu tenho um sonho



Subtítulo: Os Discuros que Mudaram a História
Autor:  Ferdie Addis  
Edição: 2012, Setembro
Páginas: 184
ISBN: 9789724745008
Editora: Texto Editores

Sinopse:
Podem as palavras mudar o mundo? Ou palavras leva-as o vento?
Por vezes, quando as circunstâncias envolventes parecem demasiado negras para haver qualquer esperança, são palavras que envolvem, elevam e motivam populações a lutar. As palavras podem desafiar ditadores: «lutaremos nas praias»; podem começar revoluções: «Liberdade, Igualdade, Fraternidade»; podem criar novas nações. «consideramos estas verdades como auto-evidentes». Outras, dão início a novas ideologias: «os fracos herdarão a terra».
Este livro apresenta momentos memoráveis em que o futuro foi decidido por palavras pronunciadas por homens e mulheres de fortes convicções. Desde palavras absurdas a inspiradoras, de divinas a diabólicas, estes são os discursos que mudaram a História e deixaram a sua marca no mundo actual.
 
A minha opinião:
Um pequeno grande livro. Simples, acessível e sintético. De quando em quando é bom ler para saber ou quiça recordar, palavras inflamadas, inspiradas ou proféticas que nos deem alguma compreensaõ e alento sobre a capacidade que o ser humano tem de se unir em torno de uma causa e superar desafios. Sem qualquer posição política ou ideológica, excepto, a razão e a coerência, somos capazes de nos surpreender com o extraordinário poder da palavra e de um bom discurso.
Senão vejamos o exemplo de uma controversa senhora, Margareth Thatcher (1980):
 
"Se gastar dinheiro como água fosse a resposta para os problemas do nosso país, não teriamos problemas agora. Se alguma vez uma nação gastou, gastou e voltou a gastar, foi a nossa. Hoje esse sonho chegou ao fim. Todo esse dinheiro não nos levou a parte alguma, mas continua a ter de vir de algum lado. Aqueles que nos exortam a aliviar o aperto, a gastar ainda mais dinheiro indiscriminadamente, na crença de que ajudará os desempregados, não estão a ser bondosos, compassíveis ou solícitos.
(...)
Se o nosso povo sentir que faz parte de uma grande nação e estiver preparado para desejar os meios de a manter grande, uma grande nação seremos e continuaremos a ser.
(...)
Permitam-nos então que resistamos às lisonjas dos fracos; permitam-nos que ignoremos os uivos e ameaças dos extremistas; permitam-nos que nos conservemos coesos e façamos o nosso trabalho e não falharemos. "
 
EU TENHO UM SONHO!
 

Sem comentários:

Enviar um comentário