sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sonhos de papel

Autor: Ruta Sepetys
Edição: 2014/ janeiro
Páginas: 384
ISBN: 9789892325187
Editora: ASA

Sinopse:
Quem diz que só se vive uma vez nunca leu um livro.
Josie Moraine vive mais do que uma vida. Ela é filha de uma das prostitutas de luxo mais cobiçadas de Nova Orleães, um estigma que a arrasta para o submundo decadente da cidade. Vítima da negligência da mãe, tem nos moradores do extravagante Bairro Francês os seus maiores aliados. De Cokie, humilde e fiel; a Willie, a dona de um bordel cuja frieza esconde um coração de ouro; e a Jesse, tímido, atraente e eternamente apaixonado, todos a protegem e velam por ela.

Mas Josie sonha mais alto e move-se com igual à-vontade nos corredores da livraria onde, graças à bondade de um desconhecido, trabalha e habita. Este é o seu porto seguro. Aqui, entre as estantes repletas de livros, no pequeno escritório que agora lhe serve de quarto, não tem de se defender da sua própria mãe nem fingir ser a durona solitária que domina as ruas. Ao anoitecer, quando a porta se fecha e as luzes se apagam, ela descobre nas páginas que folheia a imensidão do mundo e anseia por uma vida melhor. Uma vida como a de Charlotte, a filha de uma família da alta sociedade, cuja amizade a inquieta a ponto de arriscar tudo, mesmo a promessa de um amor verdadeiro.
E quando os seus sonhos estão prestes a realizar-se, um crime muda tudo... para sempre.

A minha opinião:
Romance histórico em Nova Orleães na década de cinquenta, onde Josie tenta resistir a todos os pervertidos e à promiscuidade da mãe, que a aliciam para um futuro de miséria de que sempre procurou fugir, escondendo-se e embalando-se com uma suave cantilena. Inteligente e trabalhadora tem um pequeno grupo de benfeitores que a protegem, ensinam e incentivam a lutar e a iludir a sociedade da época.
Josie, Willie e Jesse são personagens inesquecíveis que nos relembram que apesar da má sorte é possível manter a esperança e sonhar. Sólidos, íntegros e corajosos conquistaram todos, não pela sua aparência ou modo de vida mas pelos seus princípios e valores.

Este romance inebriou-me no primeiro parágrafo e não consegui parar de o ler.
"A minha mãe é prostituta. Não é do tipo obsceno, das que andam na rua. É muito bonita, bem-falante e tem roupas lindas. No entanto, vai para a cama com homens por dinheiro ou presentes e, de acordo com o dicionário, isso faz dela uma prostituta."

A narrativa de Josie de uma fragilidade e simplicidade desarmante e alguma melancolia é suscetível de abalar os corações mais sensíveis. Os crimes que a rodeiam numa cidade mundana e decadente com pessoas que admira e respeita provocam alguma revolta e prendem o leitor a um desfecho que pretendem de justiça.

Mais uma autora que pretendo seguir, com este e outros romances que quero incluir na minha estante. Gostei da escrita equilibrada e fluída que embeleza Nova Orleães como no meu imaginário e gostei das personagens que irão ter um lugar de destaque na galeria de personagens que guardo na memória.

"Não existe beleza sublime que não contenha a sua porção de estranheza."
Sir Francis Bacon

Sem comentários:

Enviar um comentário