domingo, 8 de janeiro de 2012

O Coração de Murano

Autor: Marina Fiorato
Edição: 2011, Julho
Páginas: 288
ISBN: 978-972-0-04286-6
Editora: Porto Editora

Sinopse:
O fabrico de vidro e cristal representa um inestimável monopólio para a República e os espelhos venezianos são considerados mais valiosos do que o ouro. Sob a vigilância atenta do Conselho dos Dez, os sopradores de vidro de Murano vivem praticamente aprisionados na pequena ilha, onde os segredos do seu ofício são guardados a sete chaves. Mas o maior dos artífices, Corradino Manin, ver-se-á forçado a revelar os seus métodos e a vender a alma a Luís XIV, o Rei Sol, para proteger a sua filha ilegítima.
Quase quatro séculos depois, Leonora Manin deixa para trás um passado infeliz em Londres para iniciar uma nova vida como sopradora de vidro em Veneza. Será na cidade mágica dos canais que encontrará o amor e a possibilidade de refazer a sua vida. No entanto, à medida que os segredos da traição do seu antepassado vão sendo desvendados, Leonora verá o seu próprio destino interligado com o de Corradino.
Entre dois tempos, o período renascentista e a actualidade, O Coração de Murano é um romance inesquecível que decorre na mais bela cidade do mundo.

A minha opinião:
Aguardava com alguma expectativa a oportunidade de ler este livro. Não porque conhecesse e admirasse a
escrita desta autora, uma vez que é o primeiro que dela leio mas, o que me fez desejar lê-lo foram as óptima criticas ou comentários sobre o mesmo. Contudo, agora devo admitir que não gorou as minhas expectativas mas também não as superou.
 
Talvez por ter lido alguns romances muitos interessantes que se passavam em Veneza nesta época do Renascimento por Michelle Lovric que sabia quanto baste sobre alguns aspectos da política e sociedade daquela República. Fascínio, grandiosidade e sedução, assim como traição, corupção e morte. Como as máscaras apresentava duas faces.

Através de Donna Leon soube da ilha de Murano onde ficavam cativos da sua arte e do poder económico e político,  os talentosos artífices sopradores de vidro.
 
Mistério, intriga e romance numa narrativa a duas "vozes" sobre o enigmático Corradino Manin, detentor exclusivo da arte de fazer espelhos e da bela Leonora Manin que se busca a si própria e á sua felicidade. Alternando sobre a história de ambas as personagens vislumbramos ecos do passado e da actualidade, mas sem nunca perdermos a noção temporal da narrativa. Ainda assim, o que me prendeu como leitora foi a trajectoria e personalidade de Corradino porque Nora pareceu-me um tanto ínsipida e a sua história muito linear e previsível.
Gostei particularmente da linguagem rica e acutilante de Marina Fiorato ao descrever tão bem sensações e espaços em Veneza e Paris que nos transporta para esse mundo que percepcionamos.
 
Manuseável nas suas dimensões e com uma letra adequada, este é um bom romance para nos acompanhar no nosso dia-a-dia em breves momentos de leitura.

5 comentários:

  1. li o livro este verão e, embora tenha gostado bastante do ambiete, houve qualquer coisa na história (as personagens, acho eu) que me deixou "fria". Gostei, mas não adorei. As descrições dos ambientes são ótimas, mas não fiquei tão interessada em conhecer Veneza (ou Murano) como em conhecer Siena, de pois de ter lido Juliet, de Ane Fortier - tenho um comentário sobre este livro em http://monsterblues-cms.blogspot.com/, em agosto ou setembro)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla. Percebo bem ao que te referes porque também senti o mesmo. Mas li outros autores em que a acção dos seus livros (dois foram os que mencionei no meu comentário e Elizabeth Adler)se passa em Veneza e a cidade torna-se muito desejável ao leitor.

      Obrigada. Sou novata nisto mas vou conhecer o teu blog.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Acho que ainda sou mais novata. Agradeço "palpites" para o blogue! bjs

      Eliminar