domingo, 13 de janeiro de 2013

A Culpa é das Estrelas

Autor: John Green
Edição: 2012, Setembro
Páginas: 256
ISBN: 9789892320946
Editora: ASA
 
Sinopse:
Apesar do milagre da medicina que fez diminuir o tumor que a atacara há alguns anos, Hazel nunca tinha conhecido outra situação que não a de doente terminal, sendo o capítulo final da sua vida parte integrante do seu diagnóstico. Mas com a chegada repentina ao Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro de uma atraente reviravolta de seu nome Augustus Waters, a história de Hazel vê-se agora prestes a ser completamente rescrita.

PERSPICAZ, ARROJADO, IRREVERENTE E CRU, A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars no original) é a obra mais ambiciosa e comovente que o premiado autor John Green nos apresentou até hoje, explorando de maneira brilhante a aventura divertida, empolgante e trágica que é estar-se vivo e apaixonado.
 
A minha opinião:
Devastador. E honesto, mesmo tratando-se de uma obra de fição. Um romance desafortunado entre dois belos e inteligentes jovens
 
Difícil de ler enquanto mãe. Esta temática é um dos mais temidos medos que encerramos dentro de nós relativamente a algo para o qual somos completamente impotentes. Uma obra de fição apenas e deste modo, o autor tenta perservar-nos à magoa e ao sofrimento que não nos deixa indiferentes.
Lúcidas, sarcásticas e irreverentes, assim são as personagens que encontramos nesta narrativa bem composta e bem escrita.
 
"Os meus pensamentos são estrelas que eu não consigo incluir em constelações." (pag. 251).
 
Um romance de vida e de morte, e de todos os que acompanham o que de muito acontece nesses termos. Uma guerra com um vencedor anunciado. Uma guerra com destemidos lutadores que outra opção não tem. Uma guerra sem heróis em que alguns receiam o esquecimento e a indignidade.

2 comentários:

  1. Tenho o ebook para ler... mas estes temas são um bocadinho complicados de digerir e vou deixando sempre para trás!!
    Quando lhe pegar arrisco-me a ter uma desidratação de tanto chorar...

    ResponderEliminar
  2. É um livro intenso e algo perturbador mas desidratar nem tanto... de qualquer modo, não se lê de animo leve. Eu não li.

    ResponderEliminar