sábado, 17 de agosto de 2013

Tudo o que nunca te disse

Autor: Romana Petri
Edição: 2013, julho
Páginas: 192
ISBN: 9789722526647
Editora: Bertrand Editora

Sinopse:
Mario e Cristiana já passaram dos sessenta anos e estão divorciados há quinze. Ele é engenheiro hidráulico, acabado de se mudar para o Rio de Janeiro com a sua jovem mulher e o filho com pouco mais de um ano. Ela vive em Roma com os dois filhos já crescidos e um segundo casamento, feliz. Certo dia, Cristiana recebe uma carta estranha de Mario, do Brasil. Escreve-lhe dizendo que se sente velho, que gostaria de reencontrar um pouco da juventude trocando cartas com ela. Diz que só assim, voltando atrás com quem se foi jovem, se pode continuar a sê-lo. Mas quais serão verdadeiramente as suas intenções?
Através das respostas de Cristiana, o leitor verá desfilar diante dos seus olhos, ao mesmo tempo que a história de um amor naufragado, os tiques e os mal-estares de toda uma geração: as falsas utopias, a crise das relações entre homens e mulheres, a revolução fracassada, o terrorismo, os muitos ideais que se esfumaram, deixando espaço apenas para a realidade banal. E depois os rancores, as traições mútuas, todas as coisas nunca ditas que finalmente vêm ao de cima de maneira violenta, brutal, impiedosa. Até se chegar a um verdadeiro ajuste de contas, no qual todas as cartas são postas na mesa.

A minha opinião:
Alguns amigos referiram algumas obras de Romana Petri. Inexplicavelmente, não me senti tentada, até deparar com este novo romance. E mais uma vez, essa tentação foi plenamente justificada porque o li apenas num único belíssimo dia de praia.

Contrariamente a algumas opiniões, não senti amargura ou desilusão que me fosse transmitida com esta leitura, mas é inquestionavelmente um ajuste de contas com o passado. Não era de todo essa a proposta de Mário quando iniciou esta troca de correspondência a que Cristiana deu continuidade, mas o tempo, a distância e a feliz fase afectiva actual, permitiram-lhe expor o muito que sentiu e sabia com honestidade e verdade sobre a sua vida conjunta. 
Cristiana é uma mulher paciente mas não submissa ou resignada, que no momento certo tomou coragem e mudou a sua história, conseguindo singrar e avançar. Quando confrontada com o pedido de Mário, aceitou encerrar essa história e o muito que conteve sem ocultar a mágoa e o sofrimento.

Nestas cartas surgem duas personagens secundárias - Mimmo e a Elsa. que vivem uma dramática existência. Ficção mas que infelizmente pode reproduzir algo de muito terrível e ... real. Aliás, como toda esta narrativa o pode ser. 

Bem escrito e credível, expressa sentimentos, com segurança, coerência e fluidez. 

Um prazer de ler!

Sem comentários:

Enviar um comentário