domingo, 1 de setembro de 2013

A livraria noite e dia do Senhor Penumbra

Autor: Robin Sloan
Edição: 2013, julho
Páginas: 288
ISBN: 9789722526791
Editora: Bertrand Editora

Sinopse:
A grande recessão fez com que Clay Jannon perdesse o seu emprego confortável, mas previsível, como web designer; contudo, a sorte, a pura curiosidade e a sua capacidade de subir e descer um escadote como um macaco permitem-lhe encontrar emprego no turno da noite da misteriosa Livraria Noite e Dia - gerida pelo não menos misterioso A. Penumbra. Após algumas noites de trabalho, os mistérios sucedem-se: a livraria tem pouquíssimos clientes, mas eles vêm repetidamente e parecem nunca comprar nada, limitando-se a «pedir emprestados» uns volumes obscuros dos recantos ainda mais obscuros da livraria, segundo um acordo com o excêntrico livreiro.

Apesar dos avisos do seu novo patrão, Clay não resiste a analisar o comportamento dos seus clientes e a tentar descobrir de que tratam aqueles estranhos volumes e exatamente o que se passa nesta bizarra livraria. No entanto, os segredos que descobre (com a ajuda de uma namorada que trabalha na Google e um bando de amigos geeks e techies) vão muito além das paredes da Livraria Noite e Dia… um mistério tão vasto que só pode caber dentro de um livro!

A minha opinião:
Divertido, jovial e muito diferente de qualquer outra coisa que li. Original! E irritantemente enigmático!
E que capa maravilhosa. Parecem livros dispostos em prateleiras - que brilham - quando apagamos a luz!

Bem, comecei esta leitura com ideias feitas. Erro crasso. Supunha que com base nesta estranhissima livraria aberta noite e dia, encontraria uma leitura leve e simples, sem grandes pretensões literárias e sem grande esforço intelectual, numa misteriosa aventura com prós e contras em torno da leitura em e-readers ou computadores comparativa à leitura em livros. Ou a hipotética incompatibilidade, sendo o primeiro dissuasor do segundo género. E de facto, através das novas tecnologias o acesso a informação codificada há 500 anos foi rapidamente deslindado, mas a conjugação de ambos permite um enriquecimento e aprofundamento do ato, apesar da objeção da Irmandade da Lombada Intacta e do Primeiro Leitor. Foi muito mais do que imaginei!!!

Depois de muitas peripécias rocambolescas, em que me perdi com tantos termos "técnicos" que quase exigiram tradução (senti-me jurrássica) estava algo irritada comigo mesma por não vislumbrar de que se tratava O Enigma. E fiquei felicíssima (e aliviada) com o desfecho.   

Sem comentários:

Enviar um comentário