segunda-feira, 26 de maio de 2014

Enquanto Houver Estrelas no Céu

Autor: Kristin Harmel
Edição: 2014/ maio
Páginas: 384
ISBN: 9789720044266
Editora: Porto Editora

Sinopse:
Desde sempre, Rose, ao entardecer, olhava o céu em busca da estrela da tarde. Era aquela estrela, agora que a sua memória a estava a abandonar, que lhe permitia recordar-se de quem era e de onde vinha; que a transportava para os seus dezassete anos, para uma confeitaria nas margens do Sena. Ninguém conhecia a sua história nem sequer a sua neta, Hope. Num dos seus raros momentos de lucidez sente que é importante falar-lhe de um passado longínquo, que manteve em segredo durante setenta anos e que em breve ficará perdido para sempre.
Munida de uma lista de nomes e de fragmentos de uma vida, Hope parte para Paris em busca de respostas.
Para Hope esta será também uma viagem de descoberta: de tradições religiosas há muito diluídas, de histórias vividas numa Paris ocupada onde o amor sobrevive e, sobretudo, da sua capacidade de recomeçar e acreditar em si mesma.

A minha opinião:
MA-RA-VI-LHO-SO.
Profética frase na capa "Enrosque-se no sofá com uma chávena de chá, um bolo e devore este livro - vai adorar."

Esta é a história de um amor profundo entre um homem e uma mulher, e desse modo, a história de uma família, quando o presente encontra o passado e tantos segredos e mentiras se revelam. Novos começos, doces como todas as receitas de Marnie e Hope, e muito comoventes, embrulhados  com muito amor. 
 
Uma lição que a Humanidade devia aprender. Não é a religião que divide o Homem. É o Bem e o Mal que ele pratica na Terra. Todos falamos ao mesmo Deus.

No fim da vida de Rose, o passado vem acossá-la e nos momentos de lucidez sabe que tem que descobrir tudo sobre o desaparecimento dos seus durante a Segunda Guerra Mundial, em Paris. Entrega à neta Hope uma lista de nomes, que ficaram gravados no seu coração e escritos no céu. Ela parte em busca do seu legado sem o saber.
Por vezes, a vida complica-se. As circunstâncias seguram-os. As decisões orientam o destino: Mas o coração mostra sempre o norte, e este romance toca-nos na alma e agita emoções e pensamentos enquanto nos debatemos com os nossos próprios valores. Três mulheres que não esqueceremos. Um romance contado a duas vozes, e em dois tempos e lugares distintos. Possivelmente, os sentimentos de pertença acompanham os laços de sangue. 

De todos os géneros literários que leio, o romance é o que mais gosto, e neste, entrelaçam-se com mestria, dois tipos. O romance histórico e o contemporâneo, com  personagens fortes e de grande coração. 

"- Chérie, estou a ver desaparecer as estrelas.
(...)
- Porque, apesar de não conseguirmos ver, elas estão sempre lá. - disse. Estão apenas escondidas atrás do sol. 
(...)
- É muito bom, querida, recordar que não temos de ver uma coisa para saber que ela existe. 
(pag. 48)

Dos melhores romances que já li. E foram realmente muitos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário