domingo, 24 de maio de 2015

O Espião Português

Autor: Nuno Nepomuceno
Trilogia: Freelancer (Vol. 1)
Edição: 2015/ fevereiro (nova edição)
Páginas: 376
ISBN: 9789897061424
Editora: TopBooks

Sinopse:
E se toda a sua vida, tudo aquilo em que acredita, não passar de uma mentira? O que faria?
Estocolmo, Suécia. Encerramento da Presidênca da União Europeia.
Quando André Marques-Smith, o jovem director do Gabinete de Informação e Imprensa do Ministério dos Negócios Estrangeiros português é enviado à capital sueca, está longe de imaginar que aquele será um ponto de viragem na sua vida.

Ao serviço da Cadmo, a agência de espionagem semigovernamental para a qual secretamente trabalha, recupera a primeira parte de um grupo de documentos pertencentes a um cientista russo já falecido. Mas quando regressa a Portugal, tudo muda. Uma nova força obteve a segunda parte do projeto e, de uma forma violenta e aterrorizadora, resolveu mostrar ao mundo que está na corrida pelos estudos do cientista.
Por entre os cenários reais de cidades como Estocolmo, Roma, Viena, Londres e Lisboa, a luta pelo inovador projecto começa, os disfarces sucedem-se, as missões multiplicam-se. E, enquanto é forçado a lidar com os condicionalismos de uma vida dupla, André vê-se inesperadamente envolvido num mundo de mentiras e traições, o mesmo que o levará a fazer uma descoberta que poderá mudar toda a Humanidade.

Vencedor do Prémio Literário Note! 2012, O Espião Português funde elementos tradicionais da ficção de espionagem com uma abordagem inovadora, intimista e sofisticada. Thriller intenso e vertiginoso, ode à família, amizade e amor, este é um romance imprevisível e contemporâneo ao qual não conseguirá ficar indiferente.

A minha opinião:
Com o lançamento do segundo volume desta trilogia intitulado a "A Espia do Oriente" fiquei curiosa em conhecer André Marques-Smith, o espião português que tantos já conheciam e admiravam.

Olhos verdes de perdição para um belo e garboso espião que perdeu um amor que não o merecia. 
Esta parte da trama, de espionagem, intriga, suspense e acção, foi o que menos me convenceu. As peripécias e fugas, as manobras e traições, as viagens de trabalho e resgate num mundo de aparências e convenções correspondem `as expectativas e prendem-nos a uma narrativa rápida e bem elaborada, sem quebras de ritmo ou de interesse do leitor. Mas ... esta fragilidade da personagem que quebra com um tão grande desgosto... aos meus olhos deixa-o com um ar de bom rapaz que era, mas menos duro e viril como ansiava encontrar num bom português espião. 

As surpresas deste espião são outras e bem mais intrincadas que se procuram desvendar numa leitura seguida e sobre as quais nada devo revelar. 

Agora, resta-me ler o segundo volume para saber mais sobre estas motivadas e determinadas personagens a lutar em lados opostos para conseguir um importante projecto. 

Sem comentários:

Enviar um comentário