domingo, 3 de maio de 2015

Verão Sem Homens

Autor: Siri Hustvdet
Edição: 2012/ abril
Páginas: 208
ISBN: 9789722050777
Editora: DOM QUIXOTE

Sinopse: 
Há tragédias e há comédias, não é verdade? E são frequentemente semelhantes, um pouco como os homens e as mulheres. Uma comédia depende de parar a história exactamente no momento certo. Esta é a voz de Mia Fredrickson, a viperina e trágico-cómica narradora de Verão Sem Homens. Mia é obrigada a examinar a sua vida no dia em que, sem pré-aviso e depois de trinta anos de casamento, o seu marido lhe pede "um tempo". Após um período de internamento num hospital psiquiátrico, ela decide passar o Verão na sua cidade natal, onde a mãe vive num lar de idosos. Sozinha em casa, Mia entrega-se à fúria e à autocomiseração. Mas, lenta e ardilosamente, a pequena comunidade rural insinua-se na sua esfera pessoal. Os "Cinco Cisnes" - um surpreendente grupo constituído pela sua mãe e as amigas -, a jovem vizinha, as adolescentes que frequentam o seu workshop de poesia... uma multiplicidade de vozes, vulnerabilidades, pequenas tiranias e desafios que resultarão na mais improvável das relações.

A minha opinião: 
Verão Sem Homens e Siri Hustvedt. Nem o titulo deste romance ou a autora me tentavam para o ler. (Reparei no sorriso travesso de um homem que me viu a ler este romance porque deveria ter ideias preconcebidas como as minhas o eram anteriormente).

Claro que sei quem é Siri Hustvedt e julguei que seria um romance "chato" e cheio de dogmas feministas. Gosto de feminino e não de feminismo. Estava equivocada e os comentários de apreço e satisfação com que se referiam a este livro as minhas amigas deixaram-me muito tentada. E não poderiam estar mais certas. Este romance e esta autora ficam guardadas na minha memoria pelo grato prazer que foi esta leitura. Uma revelação. Uma compreensão abrangente, sensível e coerente do sexo feminino que consegue atingir as mais distraídas e inexperientes para esta coisa das emoções e sentimentos. E dos relacionamentos.

Uma mulher com um longo casamento é trocada por uma pausa e tem um surto psicótico que a sujeita a um breve internamento. Decide mudar no verão para a sua cidade natal e convive com mulheres mais experientes e viúvas, com uma dureza mental e uma autonomia que lhes dava um verniz de invejável liberdade. Chamava-lhes Os Cinco Cisnes. As sete jovens que se inscreveram para um Workshop de poesia foram um bom desafio para esta professora poetisa em recuperação. Os vizinhos do lado e os seus conflitos davam que pensar. E um misterioso interlocutor inicialmente com ameaças e depois apenas um bom interlocutor.

Um enredo de personagens marcantes em interacção e reflexão numa historia bem construída e melhor contada. Uma escrita sublime e eloquente. Sem pausas na leitura tal o pasmo e admiração.

Sem comentários:

Enviar um comentário