segunda-feira, 8 de abril de 2019

A Grande Solidão

A minha opinião:
Desafiaram-me a ler Kristin Hannah, de quem tenho há muito alguns livros por ler.

Começamos com A Grande Solidão (como chamaram ao Alasca) contado por Leni, uma míuda de treze anos. O pai assustava-a e a mãe que o amava demais mantinha a esperança. Ernt tinha combatido e sido feito prisioneiro na guerra do Vietname. 

A narrativa rica em detalhes sobre a paisagem de grande beleza agreste e inflexível do Alasca deslumbra e é neste cenário onde buscavam encontrar paz, que se sente uma inquietação crescente que angustia e vicia. 

Na segunda parte, Leni tem dezassete anos e a família está em melhores condições financeiras. A vida no Alasca, naquela pequena comunidade continua, com personagens de fibra que apetece conhecer. Novos desafios surgem e o velho obstáculo das mulheres Allbright regressa, apesar de ser expectável que desapareça, o que me renovou o entusiasmo.

Por fim, avança mais alguns anos. As mulheres encontram um porto seguro, mas a vida não pára e novo revês impõe o regresso a onde pertencem. Muita adrenalina nesta inspirada história. 

Um romance épico de amor, dor, perda e redenção... que eu não planeava ler. Projecto Kristin Hannah. Brutal!

Autor: Kristin Hannah
Edição: 2019/ janeiro
Páginas: 456
ISBN: 9789722535991
Editora: Bertrand

Sinopse:
1974, Alasca. Indómito. Imprevisível. E para uma família em crise, a prova definitiva. Ernt Allbright regressa da Guerra do Vietname transformado num homem diferente e vulnerável. Incapaz de manter um emprego, toma uma decisão impulsiva: toda a família deverá encetar uma nova vida no selvagem Alasca, a última fronteira, onde viverão fora do sistema. Com apenas 13 anos, a filha Leni é apanhada na apaixonada e tumultuosa relação dos pais, mas tem esperança de que uma nova terra proporcione um futuro melhor à sua família. Está ansiosa por encontrar o seu lugar no mundo. A mãe, Cora, está disposta a tudo pelo homem que ama, mesmo que isso signifique segui-lo numa aventura no desconhecido. Inicialmente, o Alasca parece ser uma boa opção. Num recanto selvagem e remoto, encontram uma comunidade autónoma, constituída por homens fortes e mulheres ainda mais fortes. Os longos dias de verão e a generosidade dos habitantes locais compensam a inexperiência e os recursos cada vez mais limitados dos Allbright.

À medida que o inverno se aproxima e que a escuridão cai sobre o Alasca, o frágil estado mental de Ernt deteriora-se e a família começa a quebrar. Os perigos exteriores rapidamente se desvanecem quando comparados com as ameaças internas. Na sua pequena cabana, coberta de neve, Leni e a mãe aprendem uma verdade terrível: estão sozinhas. Na natureza, não há ninguém que as possa salvar, a não ser elas mesmas. Neste retrato inesquecível da fragilidade e da resiliência humana, Kristin Hannah revela o carácter indomável do moderno pioneiro americano e o espírito de um Alasca que se dissipa - um lugar de beleza e perigo incomparáveis. A Grande Solidão é uma história ousada e magnífica sobre o amor e a perda, a luta pela sobrevivência e a rudeza que existe tanto no homem como na natureza.

Sem comentários:

Enviar um comentário