sábado, 17 de março de 2012

As Horas Distantes

Autor: Kate Morton
Edição: 2012, Fevereiro
Páginas: 528
ISBN: 9789720043559
Editora: Porto Editora

Sinopse:
Tudo começa quando uma carta, perdida há mais de meio século, chega finalmente ao seu destino...
Evacuada de Londres, no início da II Guerra Mundial, a jovem Meredith Burchill é acolhida pela família Blythe no majestoso Castelo de Milderhurst. Aí, descobre o prazer dos livros e da fantasia, mas também os seus perigos.
Cinquenta anos depois, Edie procura decifrar os enigmas que envolvem a juventude da sua mãe e a sua relação com as excêntricas irmãs Blythe, que permaneceram no castelo desde então.Há muito isoladas do mundo, elas sofrem as consequências de terríveis acontecimentos que modificaram os seus destinos para sempre.
No interior do decadente castelo, Edie começa a deslindar o passado de Meredith. Mas há outros segredos escondidos nas paredes do edifício. A verdade do que realmente aconteceu nas horas distantes do Castelo de Milderhurst irá por fim ser revelada...

A minha opinião:
Depois de ler "O Jardim dos Segredos" não poderia deixar de ler este novo romance de Kate Morton. Brilhante e perturbador como só ela consegue. Uma escrita elaborada e cuidada de uma beleza ímpar, pautada por descrições que enriquecem a narrativa, e permitem ao leitor uma imagem tão real e sensitiva quanto possível numa obra de ficção. 

Num ambiente envolvente e carismático com fantásticas personagens, alternando passado e presente, condicionado pela história sombria do Homem da Lama, a autora tece, qual aranha, por meio de palavras, uma complexa trama que nos vicia e inebria. Um talento indiscutível para contar uma história e provocar emoções fortes ao longo da leitura.  

Com expectativas elevadas não foi fácil embrenhar-me nesta leitura, que desde o primeiro momento me provocou um estado de espírito de ansiedade e inquietação enquanto vislumbrava os muitos mistérios, segredos e dramas que naquelas horas distantes e entre  as paredes sussurrantes do Castelo de Milderhurst ocultavam as idosas gémeas Blythe e a perturbada irmã mais nova Juniper. 
Edie Baker, é o fio condutor de todas as revelações, que começam depois de ser surpreendida pela emotiva reacção da sua mãe Meredith, quando uma carta que lhe era endereçada e há muito perdida lhe chega às mãos. Curiosa e fantasiosa não obtêm respostas satisfatórias da parte da mãe, com quem tem uma relação distante e difícil, e parte à descoberta de um passado que gradualmente, como se de um puzzle se tratasse vai construindo e reconstituindo. 

Em suspense, quis acelerar para mais rapidamente desvendar, mas a autora tinha outros planos e tive que condicionar a leitura ao ritmo imposto para me deleitar com cada revelação. Com a compreensão, vem a assimilação e depois a reflexão sobre relacionamentos, afectos, sonhos, e circunstâncias que tudo mudam. A vida e os seus mistérios. 

Excelente romance. Um prazer de ler.

Sobre a autora:
Kate Morton cresceu nas montanhas do Sudoeste de Queenland, na Austrália. Licenciou-se em Teatro e, mais recentemente, em Literatura Inglesa. Kate vive com o marido e os dois filhos em Brisbane, num palacete do século XIX repleto de mistérios. As horas distantes é o seu terceiro romance, depois do sucesso internacional obtido com O Segredo da Casa de Riverton e O jardim dos segredos. Os seus livros estão publicados em 31 países.

Sem comentários:

Enviar um comentário