domingo, 25 de março de 2012

Fragmento

"Quem pode negar a beleza dos primeiros dias de primavera quando os primeiros botões começam a revelar os seus segredos e o Sol espalha a sua glória pelo mundo com um brilho sem paralelo? Suponho que há pessoas que, quando confrontadas com tamanha beleza, não se sentem afectadas. As mesmas que se limitam a olham de relance para o mais espetacular dos ocasos, continuando com as suas rotinas diárias. Eu pertenço àquelas que param para notar cada fase súbtil, cada raio de luz errante que dança no céu. Fico enfeitiçado até ao fim, tal como Rosa."
(Beleza Atormentada, de Cecelia Samartin, pag. 141)

Sem comentários:

Enviar um comentário