sábado, 31 de março de 2012

As meninas dos chocolates

Autor: Annie Murray
Edição: 2011, Outubro
Páginas: 496
ISBN: 9789892316130
Editora: ASA

Sinopse:
Edie, Ruby e Janet são amigas e dedicam-se a fazer chocolates na famosa fábrica Cadbury, em Inglaterra. As suas vidas poderiam ser de sonho, não fossem as atribulações familiares e a eclosão da Segunda Guerra Mundial.
Edie casa muito jovem. A sua fé no futuro é ilimitada mas o destino tem outros planos para ela. Com apenas dezanove anos, Edie enfrenta a guerra sozinha e tomada pela dor após a perda do marido e do filho. Até que uma noite, durante um bombardeamento, uma criança abandonada é deixada ao seu cuidado…Entretanto, a sua jovial amiga Ruby, apesar do medo de ficar solteirona, acaba por se casar com Frank, desconhecendo o seu carácter temperamental.
E há também Janet - inteligente, bondosa e atraída pelos homens errados. Profundamente magoada pela sua última relação amorosa, Janet está convencida de que nunca mais se apaixonará.
Mas David, a criança que Edie acolhe, conquista o coração de todos. E quando tem idade suficiente para questionar a sua verdadeira identidade, David vai novamente transformar as suas vidas e proporcionar-lhes algo com que nunca sonharam …
Três mulheres cujas vidas são marcadas pela amizade, a guerra e o amor por uma criança.

A minha opinião:
Romance sobre a forte relação de amizade entre três jovens mulheres de Birmingham, num período marcado pela segunda guerra mundial (entre 1939 e 1959).  Mulheres com passado e personalidades muito diferentes que se entreajudam e apoiam num período crucial da história, onde as circusntâncias e escolhas definem os seus percurso de vida.
Não fiquei plenamente satisfeita com as personagens ou a própria narrativa, que me pareceu globalmente superficial. Com excepção do último capítulo, 1957-59, não senti emoção ou empatia pelas personagens.

Apesas das suas quase 500 páginas é um romance que se lê rápidamente e sem esforço, porque a narrativa é leve e explora essencialmente as vivências das personagens e os seus sentimentos. De referir, que os chocolates e a fábrica Cadbury são uma promessa quase ausente, se considerarmos o título do livro, que no texto nem uma página ocupa, apesar da adaptação da fábrica no esforço de guerra e subsistência.

A devastação e sofrimento que esta guerra causou, é sentido e compreendido no último capítulo. Com as personagens Anatoli Gruschov, aliado de origem germânica e Hermann Mayer, judeu sobrevivente aos campos de concentração nazis, encontrei o realismo e humanismo que esperava deste romance.

Esteticamente apelativo, este livro proporciona momentos de dispersão numa agradável leitura, mas não correspondeu às minhas expectativas.

Sem comentários:

Enviar um comentário