domingo, 29 de julho de 2012

As cores da amizade

Autor: Lisa Verge Higgins
Edição: 2012, maio
Páginas:  304
ISBN: 9789720043535
Editora: Porto Editora


Sinopse:
Rachel Braun sempre foi uma inspiração para o grupo de amigas, aquela que vivia a vida ao máximo. Antes de morrer, Rachel escreve uma carta para cada uma das três melhores amigas desafiando-as a enfrentarem os seus maiores medos.
Sarah, uma enfermeira da assistência internacional, terá de cruzar meio mundo até reencontrar o único homem que realmente amou. Kate, a dona de casa e mãe a tempo inteiro, terá de se confrontar com o medo das alturas; o skydiving será uma revelação para Kate em todos os sentidos. E Jo, a mulher da sólida carreira no mundo dos media, aquela para quem a maternidade não é tema de conversa, fica com a mais aterrorizadora das tarefas: cuidar da filha de Rachel, a pequena órfã Grace. Ainda mal acreditando no desaparecimento da amiga, as três mulheres percebem que o legado de Rachel vai permanecer nas suas vidas e que ela jamais morrerá nos seus corações.


A minha opinião:
Não correspondeu de todo ao que eu esperava e desejava. Faltou empatia com as personagens numa estória em que o ponto de partida para a reviravolta das suas vidas é a surpreendente perda da amiga louca e aventureira que endereça cartas com indicações que elas decidem acatar.

Faltou algo mais que eu me debato para descobrir, mas apesar da fluidez dos acontecimentos e algum drama, não consegui abstrair-me na leitura ou envolver-me e sentir como verossímil ou credível a estória. Mantive algum distanciamento de quem lê uma obra de ficção. (Talvez a falha seja minha porque trata-se de uma leitura de verão com várias interrupções e esta não seja a leitura ideal para estas circunstâncias).

Mas, voltando ao principal. 
Rachel, Kate, Sarah e Jo, conheceram-se num clube de montanhismo. Todas tinham razões distintas para aderir ao clube. A Kate - Mrs. Jansen era um verdadeiro ratinho de biblioteca que precisava de um pretexto para sair de casa. A Sarah, de Vermont e adora actividades ao ar livre. Jo, entrou devido a um engano na sala para onde se dirigia, mas todas precisavam de vez em quando, de trepar aos cumes das montanhas. Para ver as coisas sob um ângulo diferente.
Quatro mulheres distintas que escolheram opções de vida diferentes e ainda assim tinham limitações ao seu bem estar e equilíbrio. Também lhes faltava algo que a amiga Rachel coloca em perspectiva, quando escreve missivas em que lhes pede algo de estranho e complexo de executar, e tudo põe em risco. Meios de limpar a mente, concentrar energias e discernir o que era realmente importante.
Todas precisamos de uma amiga assim, que tenho o distanciamento e coragem suficiente para nos alertar para o que devemos mudar.

Sem comentários:

Enviar um comentário