domingo, 10 de fevereiro de 2013

Fragmento

"Todas aquelas obsessões, bem como a busca maníaca de conforto (na comida, nas terapias, no amor), não carregam a marca indelével de uma personalidade defeituosa ou de uma ansiedade patológica. Vi no seu comportamento a reação de uma vida em permanente estado de crise, sob um insuportável nível de escrutínio, na tóxica e altamente inflamável estratosfera da fama.
Outros houve que lidaram com isso? Não é argumento que me convença. Mais ninguém viveu ao seu nível, com as mesmas restrições, na era dos multimédida vinte e quaro horas por dia. Não me ocorre uma comparação justa."

in "Uma história por contar" de Monica Ali, pag. 145

Sem comentários:

Enviar um comentário