domingo, 3 de março de 2013

Rendida

Autor: Sylvia Day
Série: Crossfire (vol.1)
Edição: 2012, Outubro
Páginas: 352
ISBN: 9789897450006
Editora: 5 Sentidos

Sinopse:
Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.
Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor.
A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia.
Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida.
Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e... desejos.
Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar.

"Sendo verdade que Rendida tem muito em comum com As cinquenta sombras de Gray, Rendida é uma história mais completa, mais bem escrita. As personagens são mais sólidas e o enredo é mais sensual. É um romance erótico que não pode perder" (Romance Novel News)

A minha opinião:
Não estabeleço termos de comparação com "As cinquentas sombras de Grey" porque não o li. Ainda!

Depois do último romance que li, tão terno e idilíco, este foi certamente o reverso. O que atraiu as personagens não foi o muito que partilhavam de emoções e sentimentos, mas uma poderosa atração fisica que os levou a um fogosa e volátil relação em que o sexo era o culminar de tanta tensão. Muitas páginas com uma letra miudinha que descrevem atos sexuais, ou não fosse esta uma ligação carnal.

Um romance da nova vaga em que a imagem, o sucesso e o luxo são sobrevalorizados. Personagens fantásticas. Muito ricos e muito belos, jovens e poderosos. Uma elite. Um conto de encantar dos tempos modernos não fosse o vazio e a dor de vidas destroçadas que o dinheiro não pode resolver exceto com recurso a bons terapeutas.

Escrita fluída e com muito calão para narrar uma relação conturbada em que o sexo é uma forte componente, o que é plausível, mas sobre o qual se vão revelando tabus e traumas que prendem o leitor. Nada de chocante porque o sexo é consensual e não violento ou sadomasoquista.

Leitura viciante mas pouco substancial. Entretenimento.

Sem comentários:

Enviar um comentário