quinta-feira, 11 de abril de 2013

O Livreiro

Autor: Mark Pryor
Edição: 2013, Março
Páginas: 352
ISBN: 9789897240621
Editora: Clube do Autor

Sinopse:
Uma história perfeita para todos os que gostam de livros.Hugo Marston decide comprar um livro raro ao seu amigo Max, o idoso proprietário de uma banca de obras antigas. Poucos minutos depois, Max é raptado. Vivamente surpreendido com o ato, Marston, chefe de segurança da embaixada americana em Paris, nada consegue fazer para impedir o rapto. Marston inicia então uma investigação destinada a encontrar o livreiro, recrutando a ajuda do seu amigo Tom, um agente da CIA.

A busca de Hugo revela que Max é, afinal, um sobrevivente do Holocausto que mais tarde se converteu num caçador de nazis. Estará o rapto ligado ao sombrio passado de Max ou aos misteriosos livros raros que vendia?
Nas ruas de Paris, a tensão aumenta à medida que gangues de droga rivais se envolvem em violentas disputas de território. E, estranhamente, começam a desaparecer mais alfarrabistas, sendo os seus corpos encontrados a boiar no rio Sena. Ao contrário da polícia, Marston acredita que há uma ligação entre os problemas com os traficantes e a morte dos bouquinistes.
As descobertas de Marston fazem com que ele se torne em mais um alvo dos misteriosos assassinos. Com a ajuda de Tom, Marston completa o quebra-cabeças, relacionando o passado do livreiro com o presente e conduzindo, literalmente, os dois homens ao covil do inimigo. Tal como o assassino pretendera desde o início...

A minha opinião:
"A sala cheirava a lareira e a charutos, mas Hugo conseguia sentir também o aroma a livros, aquele odor familiar e reconfortante a bafio. Se a paz tivesse cheiro, pensou, seria o perfume de uma biblioteca repleta de livros antigos e encadernados a carneira."
(pag. 253)
Tudo neste livro nos remete inicialmente para o gosto por livros mas é muito mais do que isso. Assim, como a ligação ao Holocausto é mais ténue do que o expectável  Aliás, este é um livro inesperado e realista que se lê com gosto. Não é vertiginoso ou alucinante como certos thrillers ou policiais.
A personagem principal  Hugo Marston, cordial e de humor refinado, mantêm uma relação tranquila e cuidadosa com as pessoas que preza e esse é o ponto de partida desta narrativa com o alfarrabista Max, que tanto oculta e tanto sabe e que com ele compartilha um inegável amor pelos livros. Depois de 20 anos como agente do FBI, profiler, enreda por uma carreira como chefe de segurança da embaixada americana em Paris. (Que cidade e que passeio que o narrador nos faz seguir ao longo das margens do Sena).

Intriga, crime, investigação policial, numa narrativa bem construída e com inesperados revés de personagens que estão longe dos estereótipos de duros e imbatíveis, como é o de Hugo e Tom, o seu melhor amigo, também ele agente da CIA. Ambos e uma decidida jornalista vão embrenhar-se a fundo na investigação, com a ajuda de uns quantos copos depois de tanta emoção.

Um prazer de ler!

Sem comentários:

Enviar um comentário