quarta-feira, 27 de março de 2019

Lealdades

A minha opinião:
Belíssima capa. Apropriada a um livro que se deve ler devagar, porque as palavras têm poder de ressoar e dar um nó cá dentro.

Acho que muitos pais, ressentidos um com o outro, deveriam ler este livro. Iriam perceber as consequências das suas palavras e dos seus atos. 

Opressivo. É essa a sensação que nos atinge com estas quatro personagens que se sentem encurraladas nas suas vidas. Hélene (vitima de maus tratos) a professora que capta o que o aluno Théo cala. O melhor Mathias, alinha num terrível esquema e Cécile, a mãe deste, que percebe que algo se passa, inquieta com um segredo tenebroso do marido. Todos eles leais e sobre esse prisma a primeira página deste livro é brilhante. Voltei a ela várias vezes.

Delphine de Vigan é uma extraordinária escritora e os seus romances não visam apenas o entretenimento. Suponho que seja o que definem como romances de intervenção. Depois de ler, nada permanece igual. Desafio alguém a ler este livro sem ficar perturbado. É uma pena, certos livros não serem mais publicitados e não terem a visibilidade ou protagonismo que merecem. 

Muito, muito, muito bom!

Autor: Delphine De Vigan
Tradução: Tiago Marques
Edição: 2019/ fevereiro
Páginas: 168
ISBN: 9789896168711
Editora: Gradiva

Sinopse:
Este é um livro que, com profunda sensibilidade, explora mundos distantes que, afinal, têm muitos pontos em comum: a infância e a vida adulta, a autodestruição e a salvação abnegada, o sofrimento e a busca pela felicidade.

Através de uma narração caleidoscópica, Delphine de Vigan apresenta-nos o drama das relações humanas, com tudo o que estas têm de mais negro e de mais belo.

Lealdades, assente no equilíbrio de contrapontos, é um verdadeiro romance psicológico dos nossos tempos.

Sem comentários:

Enviar um comentário