quarta-feira, 13 de junho de 2012

A última carta de Amor


Autor: Jojo Moyes
Edição: 2012, Junho
Páginas: 456
ISBN: 9789720043702
Editora: Porto Editora

Sinopse:
Inglaterra, 1960. Quando Jennifer Stirling, uma mulher de vinte e sete anos, acorda no hospital, após um trágico acidente de automóvel, não tem qualquer lembrança da sua vida passada. Não reconhece o marido, não recorda a sua própria casa e tão-pouco se identifica com a vida que lhe dizem ser a sua. Quando encontra uma carta apaixonada, escrita por um homem que assina apenas «B» e que lhe pede para abandonar o marido, irá a todo o custo tentar descobrir a identidade desse homem, enquanto enfrenta os preconceitos sociais estabelecidos.
Anos volvidos, em 2003, uma outra mulher, Ellie, descobre nos arquivos poeirentos do jornal onde trabalha a mesma carta enigmática. Fica de imediato obcecada pela história, que lhe permitirá escrever um artigo que relance a sua carreira e talvez até a ajude a lidar com a sua própria vida amorosa. Afinal, se aquela história tiver tido um final feliz, quem lhe garantirá que o homem com quem se envolveu não acabe também por deixar a mulher?
Uma história de amor apaixonante e arrebatadora, com um final absolutamente inesperado.
 
A minha opinião:
Emotivo, intenso e surpreendente, o que se traduz num excelente romance. Imperdível. Vencedor do prémio Romantic Novel of the year 2011.

Jojo Moyes é uma escritora de referência para mim. Como tal, este romance chamou-me imediatamente a atenção. Mas o que tem este romance de tão especial para quem já leu tantos e tão bons romances?

       "Jennifer Stirling senta-se no sofá forrado a seda. o café a arrefecer no colo, e conta a história de uma jovem esposa no Sul de França, de um marido que, segundo ela, não era melhor nem pior do que os maridos dessa época. Um homem do seu tempo, incapaz de expressar as suas emoções, que considerava um sinal de fraqueza. E depois conta-lhe a história de um homem diametralmente oposto, um homem rezingão, obstinado, apaixonado, magoado pela vida, que a perturbou desde a noite que o conheceu num jantar ao luar."    (pag. 337)

Uma história de amor arrebatadora,  aliás duas histórias (uma passada na década de 6o e a outra em 2003), contada de um modo absorvente e viciante repleto de ação e emoção. Divida em três partes, em que no ínicio de cada capítulo há uma missiva passional, seja carta, email ou sms, reais, em que a autora realça a importância das palavras escritas no sentir de quem as escreve e de quem as recebe.

Um amor de uma vida composto apenas por memórias e cartas sem uma única foto.

       "Mas percebi, que no meio do caos, ter alguém que nos compreenda, que nos deseje, que nos veja como uma versão melhor de nós próprios é o presente mais maravilhoso de todos. Mesmo que não estejamos juntos. saber que, para ti, eu sou esse homem é uma fonte de sustentação para mim."
(carta de Rory para Ellie - pag. 370)

Mais do que palavras sobre o prazer e comoção que sentimos ao ler este romance, inspira-nos a sentir assim.

1 comentário:

  1. hum.. a sinopse é naquela.. mas depois de ler a sua opinião fiquei mesmo tentada a ler este livro ;) hihi.. gosto de opiniões assim! obrigada

    ResponderEliminar