sábado, 30 de junho de 2012

A Sorte de Jim

Autor: Kingsley Amis
Edição: 2011, Maio
Páginas: 368
ISBN: 9789897220104
Editora: Quetzal

Sinopse:
James (Jim) Dixon é um jovem professor universitário de história medieval aborrecido com o seu trabalho e lutando por sobreviver a uma sociedade burguesa e provinciana. Nas várias frentes – superiores hierárquicos, colegas, alunos, namoradas – os equívocos, as maquinações, os mal-entendidos, os favoritismos (também exercidos por ele próprio) concorrem para o seu tormento. Jim fuma e bebe em demasia e dirige-se à desfilada para um ponto de rutura.
Jim terá a sorte de conseguir escapar às armadilhas das circunstâncias, libertar-se, sair por cima. Mas quão livre será o novo Jim?
Uma obra-prima sobre o homem em conflito com uma realidade ilegível, uma comunicação deteriorada por jogos, um ego imperscrutável e uma sociedade repressiva.
Considerado por Christopher Hitchens o livro mais divertido da segunda metade do século XX e, por Toby Young, o melhor romance cómico do século XX, A Sorte de Jim é uma hilariante sátira da vida académica britânica e um marco na literatura do pós-guerra.

A minha opinião:
Difícil entrar na estória e embrenhar-me na leitura. Possivelmente, por razões subjetivas como cansaço, depois de um ano exigente e muitas leituras.

Estava expectante em relação a este romance, porque numa critica referida ao alto da capa, era considerado como "O romance mais divertido da segunda metade do século XX", mas Jim é uma personagem cínica, critica e amargurada que narra um período da sua vida numa linguagem elaborada, cuidada, com recurso a figuras de estilo como ironia e sarcasmo. O humor é negro como a personagem que se sente frustado, e sobressai medo, irritabilidade, compaixão e aborrecimento. No meio, algumas situações hilariantes.

Uma análise aproximada da realidade, sobre a complexidade das relações humanas em contexto laboral, onde os interesses, favores e manobras visam a atingir certos fins e não os mais nobres. Uma sátira de usos e costumes atual.

Bem escrito mas uma leitura exigente e nada fácil. Não foi um dos meus preferidos. Mas mais uma vez, reconheço que tem mérito mas não surgiu no meu melhor momento.

Sem comentários:

Enviar um comentário