quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Fragmento


"Alguém tem de contar essas histórias. Quando se travam e ganham ou perdem batalhas, quando os piratas descobrem os seus tesouros e os dragões comem os inimigos com chá Lapsang Souchong ao pequeno almoço, tem de haver alguém para contar os fragmentos das narrativas que ali se sobrepõem. Isso é mágico. Elas ficam nos leitores, cada um ouve-as à sua maneira, e influenciam-nos de maneiras imprevisíveis. Da mais banal à mais profunda. Ao contares uma fábula, esta pode ficar presa à alma de alguém, tornando-se parte do seu sangue, da sua personalidade e determinação. Essa fábula põe as pessoas em movimento e guia-as, e quem sabe o que as levará a fazer. Tudo por causa das tuas palavras. É esse o teu papel, o teu dom. (...) - No fim de contas, há muitas espécies de magia."
(pag. 451)

Sem comentários:

Enviar um comentário