sábado, 18 de agosto de 2012

Segredos de Paris

Autor: Luanne Rice
Edição: 2012, Março
Páginas: 344
ISBN: 9789898228826
Editora: Quinta Essência

Sinopse:Lydie McBride sempre viveu a vida ao máximo. Mas quando uma tragédia impensável atinge a sua família tudo aquilo em que acredita se estilhaça. Michael, o seu marido arquiteto, vê a paixão desaparecer dos olhos de Lydie e do seu casamento, e espera que uma temporada de trabalho em Paris os ajude a regenerar o amor que noutros tempos parecera inatacável. Mas a Cidade das Luzes contem segredos e seduções para ambos.
Enquanto Michael se dedica ao seu projeto de design no Louvre — e cai na esfera de ação de uma francesa misteriosa, sedutora —, Lydie encontra inspiração para o seu trabalho como designer de ambientes e enceta uma amizade com duas mulheres muitíssimo diferentes que a irão tornar capaz de encontrar uma nova vida. Haverá lugar para o homem com quem sempre quis partilhar essa vida… se conseguir voltar a encontrá-lo?
Eles pensaram que mudar-se para Paris um ano iria ajudá-los… mas deparam com novos e surpreendentes desafios. Irá o seu amor renascer ou seguirá cada um o seu caminho?

A minha opinião:
Um romance um tanto insípido. Não foi dos melhores que li desta autora e já li alguns. Curiosamente as sinopses frequentemente não espelham o real valor de um romance ou o brilhantismo da narrativa, mas esta, é uma exceção, porque esta sinopse supera-o, sendo mais apelativa e envolvente.

No centro das estórias de Luanne Rice estão normalmente relações afetivas nas suas muitas e complexas formas. Relações maritais, relações de amizade, relações familiares, relações parentais e relações laborais, são também objeto deste romance. E a natureza também costuma estar presente mas não neste.

Falta carisma às personagens e envolvência entre elas que lhes transmita autenticidade. Parece-me um tanto estranha a relação de Lydie e Michael, depois de de uma tragédia, uma mudança para Paris e uma descoberta amarga como desapaixonarem-se. O assumir de que não se gosta um do outro ou que se deixou de sofrer pelo outro e não se importam de ficar sós, como até o preferem, é algo que não acontece de um dia para o outro mas acontece e provoca emoções que deveriam ser transmitidas ao leitor. Não acontece. A atração de Michael e envolvimento com Anne, foi árido e de igual modo não foi percepcionado como leitora.
A amizade de Lydie e Patrice pareceu-me superficial sem a intensidade e intimidade que sentiam duas americanas que se encontram em Paris porque também aqui falta encanto e empatia que sugira o interesse mútuo na partilha e no convívio.
O tema da emigração ilegal com a empregada Kelly de Patrice é a abordagem com mais interesse neste romance mas não gostei do desfecho apesar de verossímel.

Definitivamente este romance não me convenceu e não o recomendo.

Sem comentários:

Enviar um comentário