quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Deixo-Te Para Não Te Perder

Autor: Taylor Jenkins Reid
Edição: 2018/ agosto
Páginas: 336
ISBN: 9789722362528
Tradutor: Cristina Lourenço 
Editora: Presença

Sinopse:
Um romance deslumbrante sobre casamento, laços familiares e uma mulher singular. O casamento de Lauren e Ryan atinge o ponto de rutura e ambos tomam a decisão pouco convencional de se afastarem durante um ano, na esperança de que isso lhes permita apaixonarem-se de novo. Durante esta separação, cada um é livre de viver como entender, à exceção de nenhum estabelecer qualquer contacto com o outro.

Lauren inicia uma viagem de autodescoberta e depressa se apercebe de que tanto os seus familiares como os seus amigos têm ideias muito próprias sobre o significado do matrimónio. a perceção desse facto e os desafios decorrentes da separação de Ryan mudam a visão de Lauren sobre monogamia e casamento. E ela passa a interrogar-se: quando estamos ligados a alguém sem um compromisso de fidelidade e quando vivemos uma relação sem casamento - ou seja, quando já não há laços entre o amor e o desejo - a que damos nós valor? Pelo que estamos nós dispostos a lutar?

Um romance surpreendente sobre o que acontece quando o amor se dissipa. E sobre continuarmos apaixonados, lutarmos pelo amor, renunciarmos a ele ou entregarmo-nos com toda a nossa alma. É, sobretudo, a história de um casal preso a um velho arquétipo, mas à procura de um novo caminho rumo à felicidade.

A minha opinião:
Literaura light. Precisava disto depois do romance anterior. Sem ser fútil ou demasiado juvenil, mas que não me obrigasse a um carrocel de emoções fortes. E acertei em cheio. Uma pequena maravilha. As personagens simpáticas e francas no contexto de uma relação que descambou analisada, sob a perspectiva dela e epistolar dele (emails). Divertidamente séria e dividida em cinco partes esta inteligente história que tantos casais já vivenciaram. Aquele ponto do casamento em que a maioria cede. 


"Tudo o que tens a fazer é nunca desistir."  (pag. 326)

Lauren lia muito, como revelou num primeiro encontro após a separação. Ficção, principalmente. Thrillers. Policiais. Na verdade deixara de ler tudo o que tivesse uma história de amor. Era muito menos deprimente ler sobre homicídios. 

A Presença frequentemente nos presenteia com romances inspiradores. Leves e encantadores, que nos fazem sorrir e sonhar com o futuro, como este, em que um belo e frágil casamento não se perdeu. E outros relacionamentos com personagens enternecedoras giram em torno dos protagonistas. Contudo, também nos induz em erro porque parece que se leêm em poucas horas e damos por nós arrebatadas durante dias, a virar página atrás de página (quase transparente) sem vislumbrar o fim e sem pressa de o alcançar. Delicioso engano. E sempre com o livrinho a reboque, bem disfarçado em qualquer mala. 

Não conhecia a autora e gostei tanto que espero repetir. Fiquei apenas intrigada por não saber o que aconteceu ao pai de Lauren. Enfim... mistério, que enalteceu a familia. 

Sem comentários:

Enviar um comentário