sábado, 24 de setembro de 2011

As Raparigas da Villa

Autor:  Nicky Pellegrinno
Edição: 2011, Setembro
Páginas: 352
ISBN: 9789892316024
Editora: Edições Asa

Sinopse:
Rosie, Addolorata, Toni e Lou: onde quer que estejam, estas quatro amigas cumprem sempre o pacto que fizeram quando eram ainda colegas de escola. Apesar de terem seguido rumos muito diferentes, todos os anos se reúnem para passar férias num destino paradisíaco. Entre confissões, romances e pura evasão, os lânguidos dias passados ao sol em encantadoras villas são-lhes imprescindíveis.

Lou é insegura e debate-se permanentemente com os seus sonhos e expectativas. A inconveniente Toni encontrou no jornalismo uma carreira à sua medida mas as suas escolhas pessoais parecem ser uma eterna fonte de problemas. Como boa filha de italianos, a extrovertida Addoloratta, gosta de partilhar o seu amor pela vida. Será ela a salvar Rosie da solidão em que vivia desde a morte dos pais e a incluí-la neste grupo de amigas. Inesperadamente, será a tímida Rosie quem vai ver o seu futuro mudar mais radicalmente graças ao pacto… e a um sensual italiano chamado Enzo.

A minha opinião:
Um bom romance que li descontraída e absorta em que Rosie e a Herdade das Oliveiras com toda a família Santi e principalmente Enzo como personagem principal me enlevaram suavemente, sem artifícios ou apelos lamechas.

Rosie conduz a sua vida sem qualquer plano pré-definido ou determinado, quase de um modo casual e acidental depois da perda dos pais. Enzo pelo contrário, tem desde sempre a sua vida determinada pela família como herdeiro e gestor de uma grande herdade dedicada ao cultivo das oliveiras e à produção do melhor e mais puro azeite. Inexplicavelmente estas duas pessoas que se conhecem em ambiente de férias apaixonam-se mas o peso da tradição e a corrupção alteram o quotidiano da vida familiar de Enzo e interrompem o romance seguindo ambos com as suas vidas.

As amigas com as suas diferenças mantêm um pacto de se juntarem e gradualmente vão consolidando a amizade que tal como o amor surge misteriosamente. Os apontamentos do diário de Addolorata são muito pertinentes.

Neste romance é possível reflectir sobre o que pensamos e o modo como nos sentimos, as escolhas que fazemos e a insatisfação numa demanda de mais e mais ou melhor. Muitas vezes o que parece não é, e o que realmente sentimos está oculto bem dentro de nós.

Conheço e aprecio a escrita e as estórias de Nicky Pellegrino com narrativas em que faz referência à amizade, família e em que o clima e a comida têm uma estreita ligação. Traços marcadamente latinos. Neste livro não foge à sua principal característica com todo o impacto que a comida tem na forma de estar e sentir da mulher. E que comida, porque boa parte do livro estive com água na boca de tão apetitosos que são os pratos descritos.

Recomendadíssimo.

Sem comentários:

Enviar um comentário