domingo, 18 de setembro de 2011

A Filha do Rei

Autor:  Barbara Kyle
Edição: 2010, Setembro
Páginas: 460
ISBN: 9789896570965
Editora: Planeta

Sinopse:
A Filha do Rei é o segundo volume da série Torneigth e, tal como o primeiro livro da autora publicado em Portugal, A Aia da Rainha, é um romance histórico situado no tempo de Henrique VIII. Em A Aia da Rainha, sobre uma aia com um segredo que poderia mudar a História, Barbara Kyle mergulha o leitor na Londres do século XVI, uma época dominada por reformas religiosas, uniões por conveniência e jogos de bastidores. E é também sobre este pano de fundo que se desenrola a história de A Filha do Rei. O novo romance de Barbara Kyle passa-se na Inglaterra dos Tudor, durante o reinado de Maria I, a rainha sanguinária (bloody Mary, em inglês) e apresenta dados inéditos sobre este conturbado período da história europeia.

No livro, a autora levanta a possibilidade da soberana ter queimado os ossos de Henrique VIII, seu pai, criando assim a dúvida se de facto este está sepultado onde se crê estar. Rico em detalhes de uma época pródiga em episódios e personagens fascinantes, A Filha do Rei não poupa o leitor a imagens cruas e impressionantes sobre o cárcere de famílias inteiras, sobre alianças maquiavélicas em torno do poder e sobre a luta de uma mulher pelo futuro de uma nação… Isabel I.

A minha opinião:
Maravilhoso romance histórico.
Envolvi-me completamente na história num tempo e num lugar marcado por conspirações, traições, alianças, lutas e crimes, em que a religião e a politica se misturavam, durante o reinado de Maria. A época dos Tudor, em que a determinação de Isabel Thornleight nos arrasta para aventuras audazes em prisões tenebrosas, com o mercenário espanhol Carlos Valverde, para salvar o pai e, ainda assim, auxiliar os rebeldes que queriam evitar a aliança, através do casamento, entre a sua rainha e o filho do imperador Filipe de Espanha.
O clima de sedução e as muitas aventuras que envolveram Carlos e Isabel, fizeram com que fosse difícil interromper a leitura até chegar ao fim.
O tempo voou enquanto eu o li.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário