domingo, 21 de agosto de 2011

O Ladrão de Sombras

Autor: Marc Levy
Edição: 2011, Julho
Páginas: 176
ISBN:
Editora: Contraponto

Sinopse:
No seu novo romance, Marc Levy conta a história de um rapazinho com um dom invulgar: ele consegue «roubar» as sombras das pessoas com quem se cruza. Ao princípio, acontece-lhe involuntariamente e isso chega a assustá-lo. Sempre que se cruza com alguém – seja um amigo, um inimigo ou um perfeito desconhecido –, a sombra da outra pessoa passa a segui-lo. Por vezes contra a vontade do rapaz, as sombras contam-lhe os mais profundos desejos, temores e aspirações das pessoas a quem pertencem.E o rapaz vê-se em mãos com um dom que traz uma grande responsabilidade: ao saber estes segredos, terá de ajudar as pessoas – ajudá-las a recuperar «essa pequena luz que lhes iluminará a vida».Durante umas férias de verão à beira-mar, apaixona-se por uma rapariga muda, chamada Cléa, com quem comunica através da sua sombra. E a sombra deste primeiro amor acompanhá-lo-á durante anos…Mais tarde, o nosso «ladrão de sombras» torna-se estudante de Medicina, e debate-se com a questão de usar ou não o seu dom para ajudar a curar – tanto os seus pacientes como os seus amigos. Afinal, será ele verdadeiramente capaz de adivinhar o que poderá fazer felizes aqueles que o rodeiam? E ele próprio, saberá onde o espera a felicidade?

A minha opinião:
Sublime! Possivelmente o melhor romance de Marc Levy que é um prodigioso contador de histórias.

Dividido em duas partes e narrado pelo protagonista que não se identifica, encontramos uma perspectiva da sua vida: quando, em criança, descobre ter o dom insólito de "ladrão de sombras" e, numa segunda parte, o início da sua vida adulta. 
Sublime é a ternura que expressa numa história simples, terna e eloquente que cativa e emociona o leitor sobre um ser humano excepcional, que sente a tristeza dos outros e tudo faz para a minimizar e superar com entrega e cuidado.

Amizade e amor são os temas de fundo. 
"Há pequenas coisas que deixamos atrás de nós, momentos de vida agarrados à poeira dos tempos. Podemos tentar ignorá-los, mas esses pequenos nadas postos ao lado uns dos outros formam uma cadeia que nos liga ao passado".
Impossível não reflectir no modo como conduzimos a nossa vida e como acarinhamos os que cruzam o nosso caminho.
IMPERDÍVEL.

1 comentário:

  1. Eu achei este livro muito querido e fofo.
    As partes relativas à infância foram, para mim, as mais interessantes.
    Está mesmo giro o livro.
    Mas eu sou suspeita para falar deste autor, pois gosto bastante dele.

    ResponderEliminar