domingo, 21 de agosto de 2011

A Rainha dos Gelados

Autor: Anthony Capella
Edição: 2011, Junho
Páginas: 480
ISBN: 978-989-231-443-3
Editora: Edições Asa

Sinopse:
Já ouvi o amor ser comparado a um fogo, mas essa comparação está errada. O amor é como o gelo. Penetra no nosso corpo de forma furtiva. Quando vi Louise, o mundo parou. Amava-a, e nunca a poderia ter. Sabia que outro a amava também. Mas ele era rei e eu não. Ele podia tê-la e eu não. O gelo acabaria por deixar o seu coração , mas ficaria para sempre no meu.
1670. No palácio de Versalhes, que alberga a corte mais elegante do mundo, o jovem Carlo Demirco é famoso pela sua arte de fazer gelados. 
As suas técnicas trouxeram-lhe riqueza, os favores de Luís XIV e a admiração de todas as mulheres. Todas excepto a que ama: Louise, a dama de companhia de Henrietta, irmã do rei de Inglaterra. Quando Henrietta morre, Louise e Carlo são enviados para Londres como presente para o rei em sofrimento. Chegados a um país de costumes pouco refinados, cujo rei rapidamente se dispõe a seduzir Louise custe o que custar, torna-se claro para ambos que as suas únicas armas serão uma boa dose de diplomacia e quantidades extravagantes de gelo.

A minha opinião:
É o primeiro livro que leio de Anthony Capella e as expectativas eram elevadas. Contudo, na primeira e segunda parte, senti-me um tanto desapontada, porque as personagens principais, como Carlo Demirco e Louise de Keroualle, não me conseguiam cativar.
Metade deste romance é essencialmente dedicado aos gelados. O engenho e criatividade na arte de confecção dos gelados é uma parte extensa deste romance, como se de uma personagem rica e sumptuosa se tratasse. 

O desenvolvimento e o meu interesse surge quando a trama histórica se adensa "porque a política inglesa era um carrossel constante de traição e contra-traição, de subornos, intrigas e ambição. Neste contexto, destaca-se Louise que, depois de muito pressionada e de desencantada com a viabilidade de um honroso casamento, com que o seu virtuoso nome e antigo título a agraciassem, assume o seu papel de amante. Uma mulher sagaz e astuta, com abordagens subtis e que dispõe de influência para tomar decisões pelo rei.

Hannah é uma personagem secundária mas que me arrebatou, pela ousdia e força das suas convicções.

Um bom romance histórico que foi uma agradável leitura apoiada numa boa pesquisa mas do qual esperava mais.

Sem comentários:

Enviar um comentário