terça-feira, 23 de agosto de 2011

Um Ano à Beira Mar

Autor: Joan Anderson
Edição: 2011, Julho
Páginas: 220
ISBN: 978-989-97116-5-5
Editora: Noites Brancas

Sinopse:
Este bestseller do New York Times tem inspirado milhares de pessoas em todo o mundo. Baseado nas experiências pessoais da autora, Um Ano à Beira-Mar é uma obra autobiográfica sobre o percurso de uma mulher até à auto-descoberta e auto-realização. 
Quando o marido lhe comunicou que teria de mudar-se para outra cidade por razões profissionais, Joan Anderson soube instintivamente que não o acompanharia nessa mudança. O desgaste da relação e a saída de casa dos filhos de ambos apontavam-lhe outro caminho. Foi então que decidiu passar uma temporada numa casa da família, junto ao mar. Quem sabe se algum afastamento da vida quotidiana, até aí inteiramente dedicada ao marido, aos filhos e ao lar, não seria aquilo de que estava a precisar? Quem sabe se o ritmo das marés não seria o tónico necessário para uma transformação interior que lhe devolvesse a auto-estima e o prazer de viver? 
Durante o ano seguinte, Joan desfrutou da solidão, viveu novas experiências e aprofundou a sua própria personalidade. Descobriu o seu lado mais íntimo e determinada a sair do marasmo em que se encontrava decidiu tomar as rédeas do seu futuro. O resultado? Um livro inspirador e cheio de reflexões no qual os sentimentos assumem um protagonismo especial.

A minha opinião:
Maravilhoso – um prazer de ler. Um compreensível best-seller para um público-alvo mais vivido e amadurecido. 

“É preciso o silêncio activo de quem pensa”. 

Uma frase que li algures mas que faz todo o sentido depois de ler este belo livro autobiográfico de Joan Anderson. Sem pretensões moralizadoras ou instrutivas Joan Anderson narra um ano da sua vida que se revelou uma surpreendente e enriquecedora sucessão de sensações e experiências ao escolher a reclusão e o isolamento naquela casa de praia daquela vila piscatória. A extraordinária amizade que travou com Joan Erikson é um bálsamo ao introduzir a sua visão e verdade. 

A sinopse e as críticas elucidam bem sobre o conteúdo deste livro e depois é só desfrutar e absorver esta fluída e singela leitura sobre o balanço de uma vida na cadência da natureza. 

Bonito por dentro e por fora. A capa é como se pode ver e o interior com todas as páginas marcadas com sombreado de conchas, caracóis e estrelas-do-mar, onde cada capítulo é distinguido com o que suponho ser um relógio que indica a mudança das marés e uma citação, fazem com que ler este livro seja mesmo um prazer. O tipo de papel e a dimensão das letras também tornam o contacto agradável e a leitura acessível. Este é mesmo um livro de sensações. Uma preciosidade. Não sei se resisto a voltar a lê-lo no futuro ou a oferecê-lo a algumas amigas que sei que irão certamente aprecia-lo.

Sem comentários:

Enviar um comentário